A "arma mais destrutiva" da história foi vendida por 239 mil euros

O telefone vermelho de Adolf Hitler, anunciado como a "arma mais destrutiva" da história, foi hoje vendido por 243 mil dólares (239 mil euros), anunciou a empresa que organizou a venda em leilão.

O preço base estava situado nos 100 mil dólares e o preço da venda foi estimado pela empresa Alexander Historical Auctions, responsável pelo leilão, entre os 200 mil e os 300 mil dólares.

O leiloeiro recusou dar qualquer indicação sobre a identidade ou a nacionalidade do comprador, que realizou as ofertas por telefone.

O aparelho, descoberto no 'bunker' após a queda da Alemanha nazi, tem o nome de Adolf Hitler e uma cruz suástica com uma águia, símbolo do Terceiro Reich.

O leilão, que se realizou em Maryland, na costa leste dos Estados Unidos, apresentou cerca de mil objetos que foram oferecidos aos compradores do mundo inteiro por telefone.

A estimativa do valor deste telefone foi feita tendo em conta a "raridade e o aspeto único" do objeto, segundo disse à agência AFP Andreas Kornfeld, da casa de leilões Alexander Historical Auctions.

Através deste telefone, fornecido a Adolf Hitler pela Wehrmacht, o exército do Terceiro Reich, o líder nazi terá dado a maior parte das suas ordens nos últimos dois anos da Segunda Guerra Mundial, precisou.

O objeto foi recuperado por um antigo brigadeiro britânico, Ralph Rayner, que tinha visitado Berlim em maio de 1945, após a rendição da Alemanha nazi, e a quem os oficiais russos ofereceram o telefone, posteriormente conservado pelos seus filhos.

Após mais de 70 anos, a pintura vermelha do telefone Siemens já se encontra em parte corroída, devolvendo a cor preta inicial do aparelho em baquelite.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG