Seis mortos em ataque a hotel de Cabul. Talibãs reivindicam autoria

O ataque terminou 12 horas depois de um grupo armado ter invadido a unidade hoteleira de luxo

Os talibãs reivindicaram hoje o ataque de sábado à noite a um hotel de luxo em Cabul, que resultou em pelo menos seis mortos.

"Ontem à noite, o hotel Intercontinental (...) foi atacado. O ataque foi realizado por cinco dos nossos 'mujahidines' em busca de martírio", declarou o porta-voz dos talibãs, Zabiullah Mujahid, num comunicado.

O ataque terminou hoje de manhã, 12 horas depois de um grupo armado ter invadido a unidade, com o balanço provisório a apontar para seis mortos, um dos quais estrangeiro.

"O ataque terminou, todos os atacantes foram mortos. Cento e vinte e seis pessoas, entre as quais 41 estrangeiras, foram retiradas em segurança", afirmou o porta-voz do ministro do Interior do Afeganistão, Najib Danish, hoje de manhã.

Segundo a mesma fonte, tratou-se de um ataque feito por três elementos ao invés de quatro como foi inicialmente avançado.

Este responsável adiantou que as operações ainda prosseguem no hotel, precisamente no sexto andar, para detonar explosivos.

De acordo com uma fonte da segurança, o último atacante do grupo barricou-se "numa grande sala com reféns, afegãos e estrangeiros", que ameaçou matar antes de ser baleado.

"Ouvimos chorar os reféns, que ele os matava se não conseguisse sair", referiu esta fonte.

O grupo de atacantes entrou no hotel pouco depois das 21:00 locais (17:30 de Lisboa) de sábado e fez explodir uma granada para abrir caminho antes de começar a disparar sobre seguranças e clientes.

A eletricidade foi logo cortada no bairro e no hotel, situado numa colina do oeste de Cabul e mergulhado na escuridão, à exceção das labaredas altas que se avistavam no telhado.

Segundo uma fonte da segurança, os atacantes atearam fogo ao quarto e antepenúltimo andar do edifício antes de se barricarem no segundo.

De acordo com um jornalista da estação de televisão local Tolo News, que se encontrava no local quando começou o ataque, os atacantes abateram logo os seguranças que estavam à entrada do edifício.

O grupo de atacantes entrou no hotel pouco depois das 21:00 locais (17:30 de Lisboa) de sábado e fez explodir uma granada para abrir caminho antes de começar a disparar sobre seguranças e clientes.

Em junho de 2011, este hotel foi alvo de um ataque reivindicado pelos talibãs, que fez 21 mortos.

Desde então, o hotel está sob vigilância rigorosa, com acesso reservado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG