Suspeito do ataque de Toronto tem 25 anos e foi aluno com necessidades especiais

Chami lembra-se de como o ex-colega andava pelos corredores com a cabeça baixa, as mãos uma na noutra e a miar como um gato, mas diz que não era violento

O suspeito do ataque de segunda-feira em Toronto que matou 10 pessoas e feriu outras 15 é um homem de 25 anos, Alek Minassian, que frequentou o liceu no ensino especial.

Minassian foi preso 26 minutos depois de alegadamente ter conduzido uma carrinha branca alugada contra uma multidão em Toronto. Um vídeo do incidente, exibido na televisão canadiana CBC, mostra um homem a apontar repetidamente um objeto contra um polícia que grita para ele "descer", enquanto o suspeito exige: "Mate-me".

Segundo a CBC, Minassian é de Richmond Hill, Ontário, e não parece ter qualquer ligação a grupos terroristas, pelo que o ataque de ontem terá sido um incidente isolado, sem mais repercussões para a segurança nacional.

Uma ex-colega do secundário, Shereen Chami, disse que Minassian não era um jovem violento. Segundo Chami, ele fazia parte de um programa para estudantes com necessidades especiais, na escola secundária de Thornlea, nos subúrbios do norte de Toronto, frequentando aulas de turmas do ensino regular e outras com alunos com necessidades especiais. Chami lembra-se de como ele andava pelos corredores com a cabeça baixa, as mãos uma na noutra e a miar como um gato. "Ele não era uma pessoa sociável, mas, pelo que me lembro, era absolutamente inofensivo", recordou.

Dois outros colegas disseram à Reuters que tiveram aulas para alunos com necessidades especiais com Minassian. Necessidades especiais é um termo geral usado no sistema de educação canadiano que abrange dificuldades de aprendizagem e de comportamento, bem como deficiências físicas.

Segundo a polícia, Minassian não tinha cadastro e os seus motivos ainda são desconhecidos. Mas o chefe da polícia de Toronto, Mark Saunders, disse que as ações do motorista da carrinha branca "pareciam deliberadas".

A página do Minassian no Facebook já não está disponível, mas uma versão básica disponível no Internet Archive diz que depois de escola secundária de Thornlea, o jovem frequentou o Seneca College em Toronto de 2011 a abril de 2018, e lista como atividade desenvolvimento de software.

Terá começado a trabalhar no Centro de Desenvolvimento de Tecnologia Aberta do Seneca College em setembro de 2013.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG