Sudan, Fatu e Najin. Os últimos três rinocerontes brancos

Um macho e duas fêmeas, protegidos 24 horas por dia no Quénia

Os últimos três rinocerontes brancos do norte: Sudan, macho, e as fêmeas Fatu e Najin. Para bem da espécie, à beira da extinção, é preciso que o macho, já com 42 anos de idade, conceba com alguma das fêmeas.

Os três vivem na OI Pejeta Conservancy, no Quénia, um espaço onde são guardados por homens armados 24 horas por dia, para garantir que a espécie não desaparece antes do tempo, ainda que pareça ser esse o inevitável destino.

E também porque na Ásia se acredita que os chifres do rinoceronte tem várias propriedades benéficas, sendo que, de acordo com a CNN, está até a ficar mais caro do que as drogas.

Além da segurança diária, os responsáveis pela reserva colocaram transmissores nos animais e enviam autoridades incógnitas a localidades mais próximas, de modo a controlar quem possa querer matar os animais.

Sudan já é considerado velho dada a esperança média de vida da espécie, com 42 anos. Fatu é jovem, tem 15, e Najin tem 25.

Encontram-se bem psicologicamente, mas a idade é um fator a ter em conta, diz George Paul, veterinário na reserva.

"Sudan está velho e pode não conseguir, de forma natural, conceber com alguma das fêmeas", disse à CNN. Além disso, o velho rinoceronte tem uma baixa taxa de espermatozoides, o que dificulta ainda mais a tarefa, quer em termos naturais, quer em termos científicos.

Existe a hipótese de a ciência encontrar alternativas, mas ainda não existem métodos eficazes. O cruzamento de espécies é uma alternativa, ainda que não 100% viável, mas poderia ser "melhor do que nada", refere Paul.

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG