Sondagem coloca direita a três deputados de uma maioria em Espanha

A sondagem Gad3, a dois meses das eleições, prevê 97 deputados para o PP, 53 para o Ciudadanos e 23 para o Vox. Somados teriam 173 lugares no Congresso, a três da maioria absoluta.

A quase dois meses das legislativas antecipadas em Espanha, a sondagem Gad3 para o jornal ABC dá a vitória aos socialistas de Pedro Sánchez, com 122 deputados. Junto com o Podemos (29 representantes) e os partidos separatistas catalães e bascos conseguia a maioria no Congresso. A direita fica a três deputados desse objetivo.

De acordo com a sondagem, o Partido Popular de Pablo Casado elege 97 deputados (menos 40 do que nas eleições de junho de 2016), com o Ciudadanos de Albert Rivera a subir 21, para os 53 e a extrema-direita do Vox, de Santiago Abascal, a estrear-se com 23. Caso a aliança que fizeram na Andaluzia se repita a nível nacional, conseguem juntos ter 173 deputados -- a maioria são os 176.

O PSOE, segundo a pesquisa, passaria dos 85 que conquistou nas eleições de junho de 2016 para os 122, mas a esquerda perde representantes por causa da queda do Podemos de Pablo Iglesias, que dos 71 deputados passa para 29. A maioria socialista só será possível se tiver o apoio dos catalães que agora recusaram apoiar o orçamento de Sánchez e obrigaram-no a antecipar as eleições.

A Esquerda Republicana da Catalunha, de Oriol Junqueras (que está detido e atualmente a ser julgado por rebelião, sedição e peculato na organização do referendo de 1 de outubro de 2017 e consequente declaração unilateral de independência) elege 13 deputados nesta sondagem, com a Convergência Democrática da Catalunha/Democracia e Liberdade a conquistar cinco. O Partido Nacionalista Basco elege seis e o Bildu repete os mesmos dois que tem.

A sondagem foi feita entre 18 e 22 de fevereiro e foram inquiridos 800 eleitores. Em relação à sondagem Gad3 de janeiro, a diferença no número de deputados é o aumento do PSOE, face à queda do Podemos e do Ciudadanos. O PP mantem-se igual, asim como o Vox. A nível dos pequenos partidos, só a Convergência perde um representante.

Exclusivos