Sócrates sobre Fidel: "Um dos grandes líderes carismáticos mundiais"

"Independentemente da controvérsia que o seu regime provoca, quero recordá-lo assim: como um grande líder político que teve a coragem de combater uma ditadura", afirmou o ex-primeiro-ministro

O antigo primeiro-ministro, José Sócrates, recordou hoje Fidel castro como "um dos grandes líderes carismáticos mundiais", independentemente da controvérsia quando ao legado político.

Sócrates apresentou hoje, em Bragança, o livro "Dom Profano", que escreveu na cadeia de Évora, e ao falar sobre o carisma político e líderes carismáticos, referiu-se à morte de antigo presidente de Cuba.

"Hoje morreu um dos grandes líderes carismáticos mundiais, um grande personagem político", afirmou, considerando que apesar de haver "muita controvérsia quanto ao seu legado político, ele foi, sem dúvida, um dos grandes lideres políticos carismáticos no combate às ditaduras".

O antigo primeiro-ministro português sublinhou que Fidel Castro "nunca foi um líder de convergência, de consenso, mas sempre foi um líder que se afirmou com base na sua coragem e, muitas vezes, na coragem pessoal".

"É por isso que, no momento em que ele desaparece, independentemente da controvérsia que o seu regime provoca, quero recordá-lo assim: como um grande líder político que teve a coragem de combater uma ditadura e uma ditadura sanguinária", reiterou.

Fidel Castro morreu na noite de sexta-feira, 25 de novembro, aos 90 anos, às 22:29 locais (03:29 de sábado em Portugal continental).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG