Sobe para nove número de mortos encontrados num camião nos EUA

Dois dos mortos tinham cerca de 15 anos. Há ainda 27 feridos, 20 dos quais em estado crítico ou muito crítico

Um dos feridos que foi encontrado num camião, juntamente com oito mortos, presumivelmente vítimas de tráfico de pessoas, morreu num hospital de Santo António (no Texas, Estados Unidos), segundo o Serviço de Estrangeiros e Fronteiras norte-americano.

Oito mortos (dois dos quais menores) e 28 feridos foram encontrados hoje no interior de um camião num parque de estacionamento de Santo António, nos EUA, anunciaram as autoridades, referindo-se ao sucedido como um caso de tráfico humano.

Thomas Homan, diretor interino do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras norte-americano (ICE, na sigla em inglês), considerou que este foi um "ato atroz", liderado por uma rede de tráfico de pessoas sem escrúpulos, a quem "não importa a vida das pessoas com quem faz negócio".

O condutor do camião, identificado como James Bradley, é, até ao momento, o único detido. O camião estava estacionado no parque de um grande armazém, sendo que a polícia foi avisada nas primeiras horas de domingo por um funcionário do armazém.

"Fomos chamados por um empregado da loja Walmart a propósito deste camião, que estava estacionado no seu parque de estacionamento. Disse-nos que alguém do interior do camião lhe tinha pedido água. Ele levou água e chamou a polícia. Nós chegámos e encontrámos oito mortos no fundo do camião", contou o chefe da polícia de Santo António, William McManus, durante uma conferência de imprensa.

"Isto parece bem tratar-se de tráfico de seres humanos", declarou McManus, falando de uma cena de horror encontrada no camião.

A polícia descobriu na parte da carga do camião cerca de 36 pessoas, das quais oito já estavam mortas, aparentemente por asfixia ou insolação, sendo que ainda estão por determinar, oficialmente, as causas da morte dessas oito pessoas. As pessoas encontradas tinham entre 20 e 30 anos (sendo que os dois menores que morreram teriam cerca de 15 anos).

As restantes 28 pessoas, que estavam feridas, foram transportadas para hospitais da região (17 em "estado crítico ou muito crítico), sendo que uma pessoa morreu poucas horas depois, de acordo com o ICE.

Várias autoridades e políticos dos EUA já manifestaram hoje o seu pesar depois da morte de nove imigrantes, dois deles menores, que foram encontrados trancados num camião de carga e exigiram castigo para os traficantes.

O secretário para a Segurança Nacional dos Estados Unidos prometeu no domingo que vai trabalhar com o México e os países da América Central para erradicar os traficantes de pessoas, após a morte de nove imigrantes no Texas.

"Esta tragédia demonstra a brutalidade da rede [de tráfico de pessoas] de que falo muitas vezes. Estes traficantes não têm consideração pela vida humana e apenas procuram benefícios económicos", disse John Kelly em comunicado.

"O Departamento de Segurança Nacional e os seus parceiros nos Estados Unidos, México e América Central vão continuar a erradicar estes traficantes, levando-os à Justiça e desmantelando as suas redes", acrescentou.

O congressista democrata do Texas Joaquín Castro manifestou em comunicado o seu pesar, deixou as suas condolências aos familiares das vítimas do que classificou como "uma tragédia que podia ter sido evitada" e instou a que "se julguem e castiguem os traficantes de pessoas com todo o peso da lei".

Richard Durbin Jr., procurador federal para o Tribunal do Distrito Ocidental no Texas, afirmou que a morte destas pessoas foi um "crime cometido por personas cruéis, indiferentes ao bem-estar da frágil carga que transportavam".

Segundo alguns meios de comunicação locais de San Antonio, as câmaras de segurança do estacionamento gravaram vários veículos a aproximarem-se do camião e a levarem pessoas, o que aponta para a possibilidade de mais pessoas terem feito a viagem dentro daquele veículo.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG