Só três dos suspeitos de ataques no ano novo são refugiados

O procurador da cidade contrariou as primeiras informações fornecidas pela polícia

Apenas três dos 58 suspeitos detidos por envolvimento nos ataques em massa contra mulheres na noite de passagem de ano, em Colónia, Alemanha, são refugiados. A garantia foi dada pelo procurador da cidade numa entrevista ao jornal Die Welt.

Ulrich Bremer especificou que se trata de dois sírios e um iraquiano, os quais chegaram recentemente à Alemanha.

Os restantes suspeitos eram argelinos, tunisinos, marroquinos que já viviam na Alemanha há alguns anos e três deles eram inclusivamente alemães.

Estas últimas informações acerca dos ataques sexuais em massa contra mulheres vêm contrariar os primeiros dados fornecidos pelas autoridades. Uma semana após esses casos, que se deram junto à catedral da cidade de Colónia, o porta-voz do ministério do Interior alemão afirmou que havia requerentes de asilo entre os suspeitos.

Poucos dias depois, nova atualização dos dados para dizer que a maioria dos atacantes era imigrantes.

Os ataques e estas informações foram usados pela extrema-direita para criticar a política de portas abertas aos refugiados da chanceler Angela Merkel.

O procurador de Colónia esclareceu ainda que das 1,054 queixas registadas na polícia 600 estão relacionadas com roubos e não com ofensas de cariz sexual.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG