Três sismos sentidos no centro de Itália em apenas uma hora

O primeiro abalo foi sentido às 9:25 locais. Desde então já houve mais dois, além das réplicas. Todos na região afetada por abalos fatais no ano passado

Um sismo com 5,3 de magnitude foi sentido esta manhã no centro de Itália, fortemente atingida por terramotos mortais no ano passado. Desde então, no espaço de apenas uma hora, já se registaram mais dois, além de réplicas.

As regiões de Lácio, Marcas e Abruzos foram as mais afetadas pelos abalos, também sentidos na região de Roma.

O primeiro abalo registou-se às 9:25 (horas de Lisboa, menos uma que em Itália), a uma profundidade de 10 quilómetros, na região de Áquila, segundo o Instituto Nacional de Geofísica e Vulcanologia italiano.

O segundo, com magnitude de 5,4, foi sentido às 10:14 (hora de Lisboa), e o terceiro, com magnitude de 5,3, às 10:25

Não se registaram vítimas mortais, anunciou o primeiro-ministro. Paolo Gentiloni considerou que hoje é "um dia difícil" para Itália, uma vez que os sismos ocorreram numa altura em que a região está há vários dias coberta de neve, o que levou ao corte do fornecimento de eletricidade nalgumas zonas e dificultou a chegada dos serviços de socorro após os sismos.

"Felizmente, parece que não houve mortes", disse o primeiro-ministro, que falava em Berlim após um encontro com a chanceler Angela Merkel. Gentiloni lamentou a situação, frisando ser "alarmante para a população".

Apesar de não se terem registado vítimas mortais, foram no imediato implementadas medidas de prevenção, nomeadamente com a retirada de alunos de escolas, uma vez que se registaram alguns colapsos, ainda que ligeiros.

A autoestrada A24, que liga Roma a Téramo, atravessando praticamente o país de oeste a este foi encerrada para ser efetuada uma vistoria em todo o percurso e verificar a existência ou não de danos. E os comboios deixaram de circular, também para analisar as vias férreas. Em Roma, duas linhas de Metro também tiveram a circulação interrompida para verificações técnicas.

A 24 de agosto de 2016, um sismo de magnitude seis na escala de Richter causou a morte de 297 pessoas e a devastação de localidades históricas como Amatrice, na região de Lácio. Desde então registaram-se mais de 45 mil réplicas, a maior das quais com 6,6 de magnitude, em outubro, que foi o maior terramoto em Itália em 36 anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG