Dois fortes sismos voltam a abalar Itália

Balanço oficial, ao final do dia de quarta-feira, aponta para apenas um ferido na localidade de Visso

Dois fortes sismos atingiram esta quarta-feira a zona central de Itália, a mesma que foi severamente afetada pelo terramoto que ocorreu no passado mês de agosto e que matou quase 300 pessoas na região das Marcas.

Primeiro, às 19:11 em Roma, menos uma hora em Portugal, registou-se um sismo de magnitude 5,4 na escala de Richter, segundo a agência geológica dos EUA, a nove quilómetros de profundidade e com epicentro entre as localidades de Terni e Perugia, na zona de Macerata. Pelas 21:18, hora local, novo sismo, desta vez de 5,9, indica a imprensa italiana.

Segundo o balanço oficial da Proteção Civil, feito ao início da noite, há um morto a registar, em Visso, e muitos edifícios com danos materiais. Quinta-feira, várias escolas estarão fechadas por motivos de segurança, para que as autoridades verifiquem se as construções não correm risco de ruir.

De acordo com a imprensa local, os sismos foram sentidos na capital, Roma, com intensidade, mas também em L'Aquila, Perugia, Florença e Nápoles. Há relatos de muita gente nas ruas e de centenas de chamadas para os serviços de emergência.

Um especialista do instituto italiano de geofísica e vulcanologia, Alessandro Amato, disse ao La Reppublica que o sismo desta quarta-feira estará, de alguma forma, ligado ao de 24 de agosto, que foi particularmente letal em Amatrice: "Trata-se provavelmente da ativação de uma nova falha", referiu o cientista.

O mesmo jornal adianta que as localidades mais próximas do epicentro são Castelsantangelo sul Nera, com 318 habitantes, Visso, com cerca de 1200 residentes, Ussita e Preci. Nesta zona, faltou a eletricidade depois do primeiro sismo.

Nas redes sociais, circulam imagens de edifícios danificados.

Devido ao sismo, o jogo entre Pescara e Atalanta, da décima jornada da Liga italiana de futebol, foi interrompido durante alguns minutos. O árbitro interrompeu o encontro, que tinha começado há meia hora, durante cerca de três minutos. O jogo foi retomado com normalidade, de imediato.

O primeiro-ministro italiano, Matteo Renzi, está a seguir a evolução da situação e em contacto com o presidente da Proteção Civil italiana, Fabrizio Curcio. No Twitter, escreveu que agradece a todos os que trabalham debaixo de chuva nas áreas do terramoto, sublinhando que a Itália abraça com força as populações afetadas.

Recorde-se que o sismo de 24 de agosto teve uma magnitude de 6,2 na escala de Richter e o epicentro localizou-se a dez quilómetros de profundidade. Amatrice foi a localidade mais afetada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG