Merkel diz que situação em Alepo "é uma vergonha"

A chanceler alemã, Angela Merkel, considerou hoje "uma vergonha" a incapacidade da comunidade internacional para aliviar o sofrimento dos civis da cidade sitiada de Alepo e criticou a Rússia pelo apoio ao regime de Bashar al-Assad.

"Alepo é uma vergonha", disse a chanceler num discurso no congresso do seu partido, a União Democrata-Cristã (CDU).

"É uma vergonha termos sido incapazes de criar um corredor humanitário, mas temos de continuar a lutar por um".

A chanceler lamentou por outro lado que, ao mesmo tempo que se convocam manifestações contra o tratado de comércio livre entre a União Europeia e os Estados Unidos, não haja protestos ou ações semelhantes contra os bombardeamentos em Alepo.

Mais de 50.000 sírios fugiram nas últimas semanas de Alepo devido à intensificação dos ataques das forças do regime à zona da cidade controlada pelos rebeldes.

As forças governamentais sírias, apoiadas pelas forças russas, controlam nesta altura cerca de dois terços do leste de Alepo, a parte outrora nas mãos dos rebeldes, e prosseguem a ofensiva para recuperar toda a zona oriental da cidade.

Mais de 300.000 pessoas foram mortas e milhões obrigadas a fugir desde o início da guerra na Síria, há quase seis anos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG