Sequestrador de herdeira milionária condenado a 12 anos de prisão

Mulher foi mantida numa gruta numa montanha. Familiares pagaram resgate de 28 milhões de dólares de Hong Kong, 3,2 milhões de euros

Um membro de um grupo que sequestrou uma herdeira de um milionário em Hong Kong foi hoje condenado a 12 anos de prisão.

Queenie Rosita Law, de 29 anos, neta do falecido magnata dos têxteis Law Ting-pong, que fundou a cadeia de vestuário Bossini, foi levada de sua casa, na antiga colónia britânica, em abril do ano passado.

A mulher foi mantida numa gruta numa montanha e os familiares pagaram um resgate de 28 milhões de dólares de Hong Kong (3,2 milhões de euros) para que fosse libertada.

Zheng Xingwang, de 30 anos, foi o único suspeito levado a tribunal em Hong Kong. Declarou-se culpado da acusação de levar/deter uma pessoa à força, com a intenção de procurar obter um resgate.

Outros oito homens foram levados à justiça no interior da China, onde também se declararam culpados, estando a aguardar o veredito.

"O sequestro é um crime perverso e abominável", afirmou o juiz Kevin Zervos, aquando da leitura da sentença.

Apesar de não estar fisicamente ferida, a mulher temeu pela sua vida, disse o juiz, indicando que quando foi encontrada por dois agentes "tremia com o medo".

"Queenie passou por uma experiência traumatizante", frisou.

Zheng Xingwang, que é natural do interior da China, facultou apoio logístico e material para o resgate, segundo foi dito em tribunal.

As suas impressões digitais foram encontradas nos envelopes em que foi metido o dinheiro do resgate. Foi levado a tribunal depois de ter sido apanhado em Hong Kong pela polícia. Os outros membros do gangue foram presos na China.

Queenie Rosita Law e o namorado estavam a dormir em casa quando um grupo de seis homens invadiu a propriedade, os amarrou e lhes colocou fita adesiva na boca, segundo a descrição ouvida em tribunal.

Também roubaram joias e dinheiro de dois cofres, que continham valores estimados em três milhões de dólares de Hong Kong (343 mil euros), depois de a forçar a dar as combinações.

A mulher foi levada para uma gruta na encosta, a cerca de uma hora e meia de distância. Os raptores deixaram o namorado livre, para que comunicasse ao pai dela o resgate exigido.

A polícia de Hong Kong organizou uma operação que envolveu centenas de agentes fortemente armados, helicópteros, navios e barricadas na estrada.

Quase todo o dinheiro foi recuperado, incluindo algum enterrado na encosta perto do local para onde Queniee foi levada.

Apesar de os sequestros serem raros em Hong Kong foram registados vários casos envolvendo altas figuras, incluindo o filho do magnata Li Ka-shing, em 1996, que foi libertado depois de o seu pai ter alegadamente pagado um resgate de mil milhões de dólares de Hong Kong (114,3 milhões de euros).

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG