Seis mortos em ataque "terrorista" numa mesquita no Quebeque

Dois suspeitos do ataque já foram detidos. O primeiro-ministro canadiano condena "ataque cobarde"

O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, condenou hoje o ataque perpetrado contra uma mesquita do Centro Cultural Islâmico da cidade do Quebeque, em que morreram pelo menos seis pessoas e oito ficaram feridas.

"Esta noite os canadianos lamentam os mortos num cobarde ataque numa mesquita da cidade do Quebeque. Os meus pensamentos estão com as vítimas e as suas famílias", escreveu Trudeau na sua conta de Twitter.

"Condenamos este ataque terrorista contra os muçulmanos num centro de oração e refúgio", indicou num comunicado, lembrando que "a diversidade é a nossa força e a tolerância religiosa é um valor que nós, enquanto canadianos, prezamos".

As testemunhas dizem que três homens encapuzados entraram na mesquita por volta das 19:15 de domingo (00:15 de hoje em Lisboa) e começaram a disparar. Mas a polícia acredita que os autores do ataque serão apenas dois, que já foram detidos. Segundo as autoridades, as vítimas tinham entre 35 e 70 anos. 39 pessoas saíram ilesas do ataque.

O tiroteio ocorreu depois de Trudeau dizer que o Canadá acolheria os refugiados impedidos de entrar nos Estados Unidos, depois de o presidente norte-americano, Donald Trump, ter suspenso o programa de refugiados dos EUA, impedindo temporariamente a entrada de cidadãos de sete países de maioria muçulmana, alegando motivos de segurança nacional.

A mesquita foi alvo de atos de vandalismo e mensagens xenófobas nos últimos meses. Em junho, a cabeça de um porco foi deixada à porta da mesquita em pleno Ramadão (o mês sagrado dos muçulmanos).

"Um tiroteio. Na cidade do Quebeque. Não acredito", disse Mohammed Yangui, o presidente da mesquita, citado pelo jornal canadiano 'The Globe and Mail'. "Nunca fizémos nada para provocar ninguém e nunca cultivámos ódio contra ninguém", acrescentou.

O primeiro-ministro do Quebeque, Philippe Couillard, classificou de "terrorista" o ataque. Philippe Couillard escreveu na rede social Twitter que "como resultado deste ato terrorista, pedi que a bandeira na Assembleia Nacional (parlamento provincial) seja hasteada a meia-haste".

O Presidente francês, François Hollande, condenou "nos termos mais fortes possíveis" o "odioso ataque" na cidade canadiana do Quebeque. "É o espírito da paz e a abertura das pessoas do Quebeque que os terroristas querem atingir", disse Hollande.

Exclusivos

Premium

Contramão na autoestrada

Concessionárias querem mais formação para condutores idosos

Os episódios de condução em sentido contrário nas autoestradas são uma realidade recorrente e preocupante. A maioria envolve pessoas idosas. O tema é sensível. Soluções mais radicais, como uma idade para deixar de conduzir, avaliação médica em centros específicos, não são consensuais. As concessionárias das autoestradas defendem "mais formação" para os condutores acima dos 70 anos.