Seehofer deixa liderança partidária mas fica no governo de Merkel

Líder da CSU, os aliados bávaros da chanceler alemã, deixa o partido após um mau resultado eleitoral em outubro. Mas continua como Ministro do Interior alemão.

Horst Seehofer confirmou que vai deixar a liderança da CSU, os aliados bávaros da União Democrata-Cristãde de Angela Merkel, mas continuará à frente do Ministério do Interior alemão.

"Vou deixar o meu cargo de líder partidário", disse Seehofer, que está à frente dos conservadores bávaros há dez anos. Mas acrescentou: "Sou o ministro do Interior federal e vou continuar a desempenhar esse papel", rejeitando a ideia de que vai abandonar os dois cargos. "O cargo de ministro federal do Interior não é afetado por esta decisão de maneira alguma."

O líder da CSU anunciou a sua intenção à restante liderança partidária no fim de semana e confirmou esta segunda-feira aos jornalistas, num evento na Saxónia. Um novo líder deverá ser eleito no início do próximo ano.

Seehofer estava sob pressão para se demitir desde as eleições da Baviera, em outubro. Apesar de ter ganho, a CSU perdeu a maioria absoluta no estado, caindo mais de dez pontos percentuais em relação às eleições de 2013.

Contudo, o ministro de 69 anos diz que essa não é a razão para sair, alegando que a ideia é fazer de 2019 "um ano de renovação na CSU".

O anúncio da saída de Seehofer da liderança partidária surge mais de duas semanas depois de a chanceler alemã, Angela Merkel, anunciar que não seria candidata à liderança da CDU nas eleições de dezembro. E que o seu atual mandato, o quarto, será o último como chanceler.

Os conservadores bávaros da CSU são os aliados regionais da CDU de Merkel, mas as relações entre Seehofer e a chanceler não têm sido as melhores desde que ele assumiu o cargo de ministro do Interior. Ambos têm posições opostas no que diz respeito à política de imigração e de acolhimento aos refugiados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG