Noite de confrontos em São Tomé: polícia obriga manifestantes a recuar

A Polícia de Defesa do Estado de São Tomé e Príncipe interveio esta noite na capital são-tomense, fazendo recuar uma multidão de manifestantes que protestavam contra a recontagem de votos na comissão eleitoral distrital, após as eleições de domingo

Centenas de simpatizantes do Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD, segundo partido mais votado nas legislativas de domingo) concentravam-se desde cerca das 16:00 em frente à comissão eleitoral distrital de Água Grande, contestando uma alegada recontagem de votos das eleições da véspera, que diziam ser contrária à lei.

Os apoiantes do MLSTP diziam recear que os votos sejam alterados.

Cerca das 20:00, a polícia (conhecida como 'ninjas') começou a avançar, obrigando a multidão a recuar. Esta respondeu atirando pedras e garrafas.

Explosões e cortes de trânsito

Os agentes provocaram explosões e fizeram uma barreira no início da rua, encerrando-a ao trânsito e à circulação.

Os protestos foram-se tornando mais violentos ao longo da tarde e um grupo de jovens destruiu e um carro, provocando várias explosões. A viatura pertencia a uma juíza que, na comissão distrital, conduzia o processo de recontagem.

Inicialmente, os 12 agentes dispararam tiros para o ar e lançaram gás lacrimogéneo contra os manifestantes, mas a multidão não desmobilizou.

Cerca de uma hora após a intervenção, a polícia mantinha a rua fechada e lançou fumo, enquanto dezenas de pessoas se mantinham concentradas em frente, do outro lado da estrada.

Negociações para formar governo

Uma ambulância deslocou-se ao local. O partido Ação Democrática Independente (ADI) venceu as eleições legislativas são-tomenses no domingo, alcançando 25 mandatos no parlamento, seguindo-se o MLSTP-PSD, com 23 eleitos, anunciou a Comissão Eleitoral Nacional (CEN).

Segundo os resultados provisórios das eleições legislativas de domingo, anunciados na segunda-feira ao final da manhã pelo presidente da CEN, Alberto Pereira, dos 55 mandatos na Assembleia Nacional, a ADI, partido do primeiro-ministro, Patrice Trovoada, venceu a eleição com maioria relativa, obtendo um total de 25 eleitos, com 32.805 votos.

O Movimento de Libertação de São Tomé e Príncipe - Partido Social Democrata (MLSTP-PSD), liderado por Jorge Bom Jesus, conseguiu eleger 23 deputados, recebendo 31.634 votos.

Em terceiro lugar, com 7.451 votos, ficou a coligação formada pelo Partido da Convergência Democrática (PCD, segundo maior partido da oposição, a União para a Democracia e Desenvolvimento (UDD), e o Movimento Democrático Força da Mudança (MDFM), obtendo cinco mandatos.

O Movimento de Cidadãos Independentes de São Tomé e Príncipe elegeu dois deputados pelo distrito de Caué, no sul do país.

MLSTP e coligação reclamam ter conquistado "maioria absoluta" e estão a negociar a formação de um Governo.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG