Partido no poder admite perda de maioria absoluta mas quer formar governo

O secretário-geral da Ação Democrática Independente (ADI), no poder em São Tomé e Príncipe, reconheceu hoje que o partido perdeu a maioria absoluta, mas espera conseguir formar governo com o apoio de um grupo de deputados eleitos por Caué.

"Segundo os dados provisórios que chegaram à nossa equipa de trabalho, perdemos a maioria absoluta. Neste momento temos 26 ou 27 deputados, mas continuamos em primeiro lugar e continuamos em maioria relativa", declarou Levi Nazaré, numa curta declaração à imprensa na sede da ADI, em São Tomé.

O responsável do partido afirmou existir "possibilidade de formar governo com o movimento de deputados de Caué", que segundo os dados disponíveis até agora "conseguiram dois mandatos" naquele distrito no sul do país.

"Subimos um deputado no Príncipe, e essa subida é que nos dá provavelmente 27 deputados", comentou Levy Nazaré.

Questionado pela Lusa, o secretário-geral do partido afirmou que já foram iniciados "contactos preliminares" com os deputados de Caué.

"Estamos à espera dos resultados definitivos para vermos a possibilidade de, com o movimento, formar Governo e continuar a estabilidade do país, que é necessária e fundamental", referiu.

O presidente da ADI e primeiro-ministro cessante, Patrice Trovoada, deverá comentar os resultados das eleições deste domingo, mas não foi ainda confirmado quando tal acontecerá.

Mais de 97 mil eleitores de São Tomé e Príncipe foram chamados este domingo às urnas para escolher o próximo primeiro-ministro do país, com Patrice Trovoada (Ação Democrática Independente - ADI) a pedir a renovação da maioria absoluta e Jorge Bom Jesus a procurar levar o MLSTP-PSD ao poder.

Também foram eleitas as direções das seis câmaras distritais da ilha de São Tomé, bem como do governo regional do Príncipe.

A ADI venceu as eleições legislativas de 2014 com maioria absoluta (33 em 55 lugares na Assembleia Nacional) e o executivo de Patrice Trovoada foi o primeiro a concluir o mandato de quatro anos, desde a introdução do multipartidarismo no país, no início da década de 1990.

Na sede, algumas dezenas de militantes estavam concentrados num auditório, apenas com uma televisão ligada, conversando em grupos e sinais de festejos.

A Comissão Eleitoral Nacional de São Tomé e Príncipe prevê divulgar resultados provisórios das eleições de domingo cerca das 08:00 de hoje.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG