Sanders pede fim de deportações e separação de famílias imigrantes

Candidato defende que o país foi "sempre um símbolo de liberdade para aqueles que fogem da violência e perseguição"

O aspirante a candidato do Partido Democrata nas eleições presidenciais dos EUA Bernie Sanders pediu hoje ao Governo de Barack Obama para acabar com as deportações e separações de crianças e famílias de imigrantes clandestinos.

"Os Estados Unidos foram sempre um símbolo de liberdade para aqueles que fogem da violência e perseguição. Os ataques que separam as nossas famílias não representam a nossa essência", disse Sanders em comunicado.

O senador do Vermont disse que a deportação "pode chegar a ser uma sentença de morte para menores de idade, pais de família e requerentes de asilo que são detidos".

"Pedir que crianças de três anos de idade se representem a si mesmos legalmente em audiências de imigração é uma perda vergonhosa de justiça e não devemos permitir que continue. As famílias merecem um tratamento justo e a nossa compaixão, e não um processo concebido para expô-los ao perigo", afirmou.

Sanders deu como exemplo a possível deportação de Wildin Acosta, um jovem adolescente que escapou das Honduras depois de ter sido ameaçado de morte por um gangue, e a deportação pendente de Ladislao Padilla Ochoa, "um pai de família que viveu no Tennessee durante quase 20 anos".

Os cidadãos do Wisconsin (centro-norte dos EUA) vão este mês às urnas para decidir quem vai ser o candidato democrata à Casa Branca. Mantêm-se na corrida do Partido Democrata Sanders e a ex-secretária de Estado Hillary Clinton.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG