Sánchez inicia contactos para formação de governo

Líderes do PSOE e do PP em sintonia, pelo menos na aparência - de fato azul e sorridentes -, discutiram os resultados das eleições gerais de 28 de abril.

Pedro Sánchez recebeu nesta segunda-feira na residência oficial do governo espanhol, a Moncloa, o líder do PP, Pablo Casado, na primeira ronda de contactos iniciada pelo chefe do Executivo após as eleições gerais.

O encontro entre os dois é o primeiro das reuniões agendadas pelo primeiro-ministro e líder socialista após o ato eleitoral que deu a vitória ao PSOE com 123 deputados, mas sem maioria. Ainda assim muito à frente do PP, que com 66 lugares obteve o pior resultado da sua história.

Segundo fontes governamentais à agência Efe, as reuniões com os líderes partidários são vistas como um retomar de contacto e normalização de relações depois da campanha eleitoral, e ressaltam a importância de enviar "uma boa mensagem" na tentativa de superar as diferenças partidárias.

Não se espera que PSOE e PP alcancem qualquer acordo pós-eleitoral.

Pablo Casado disse que no seu partido "não há lugar para luto ou demissão" na sequência dos resultados eleitorais. As declarações foram realizadas esta manhã junto da candidata do seu partido à Comunidade de Madrid, Isabel Diaz Ayuso.

Casado considerou que os populares já "sacudiram a poeira" do sismo eleitoral e estão determinados a apresentarem-se às eleições de 26 de maio "com um desejo de vitória".

O líder do partido de centro-direita pediu aos Ciudadanos que esclareçam com quem está disposto a fazer alianças após as eleições municipais e regionais, tendo alegado que seria "muito positivo" se a sua política de acordos fosse conhecida.

A ronda de contactos de Sánchez inclui reuniões amanhã com os líderes do Ciudadanos, Albert Rivera, e do Podemos, Pablo Iglesias.

Exclusivos