Sánchez falha eleição à primeira. Nova votação na sexta-feira

Como era previsto, o líder socialista não conseguiu o apoio suficiente para ser eleito primeiro-ministro.

Depois de mais de dez horas de debate, Sánchez ouviu 130 "sim" (dos deputados do PSOE e do Ciudadanos), uma abstenção (da deputada da Coligação Canária) e 219 "não" (entre os quais os 123 do Partido Popular e 69 do Podemos e aliados).

Na primeira votação, Sánchez precisava do apoio de pelo menos 176 deputados (maioria absoluta). Na segunda, marcada para dentro de 48 horas (sexta-feira às 19.45, menos uma hora em Lisboa), só precisa de maioria simples, isto é, mais "sim" que "não". O segundo debate começará às 18.30.

Segundo o El País, Sánchez será o terceiro candidato a primeiro-ministro que tem que enfrentar uma segunda votação, depois de Leopoldo Calvo-Sotelo, em 1981 (no dia da votação, 23 de fevereiro, deu-se a tentativa de golpe de Estado do tenente -coronel Tejero) , e José Luis Zapatero, em 2008.

Sánchez reagiu no Twitter: "Continuo a confiar no diálogo e no acordo para um governo de mudança que melhore a vida de todos os espanhóis".

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG