Risco de rutura de mais uma barragem leva à retirada da população em Brumadinho

As avalanches de lama desta sexta-feira já provocaram pelo menos 40 mortos e quase 300 pessoas continuam desaparecidas.

A sirene foi novamente acionada no município de Brumadinho, no estado de Minas Gerais, onde esta sexta-feira ocorreu a rutura de uma barragem da empresa de mineração Vale. De acordo com o site brasileiro Veja, os níveis de água e o risco de rutura de mais uma barragem na região da Mina Córrego do Feijão obrigaram à retirada da população que mora na zona.

Os residentes tiveram que abandonar as suas casas durante a madrugada deste domingo, por volta das 5:30, depois de a entidade de mineração ter acionado a sirene. Seguindo o plano de emergência do município, a população terá sido levada para os pontos mais altos da cidade.

Segundo o comandante de operações na região, Coronel Ângelo, "a barragem não rompeu, mas os técnicos indicaram risco iminente de rutura e acionaram a sirene de evacuação". "Estamos com a equipa já mobilizada para essa evacuação", garantiu.

O porta-voz da corporação, tenente Pedro Aihara, disse ainda que "desde ontem que está a ser feito um movimento de bombeamento da água (desta barragem) para fora, para esvaziá-la e torná-la mais segura". "Imediatamente, com a sirene acionada, o Corpo de Bombeiros está a executar a evacuação das comunidades que ficam nas imediações da barragem", afirmou.

A avalanche de lama e resíduos minerais desta sexta-feira, causada pelo acidente na barragem, já provocou pelo menos 40 mortos e há ainda cerca de 300 pessoas desaparecidas, de acordo com o último balanço.

Ainda segundo o último levantamento do governo de Minas Gerais, até ao momento foram resgatadas 366 pessoas, sendo 221 funcionários da empresa Vale e 145 subcontratados. Há cerca de 300 desaparecidos e os bombeiros confirmaram que 23 pessoas foram encaminhadas para hospitais da região e que 81 estão desalojadas devido à rutura da barragem.

Em atualização

Outras Notícias

Outros conteúdos GMG