Revista criticada por envergonhar vítima de violação. "Devias agradecer por ter usado preservativo"

Uma colunista de uma revista para jovens disse que a vítima agiu como uma rapariga promíscua e ingénua

A resposta de uma conselheira de uma revista de Singapura a uma jovem que foi violada está a ser fortemente criticada, a revoltar o público e a obrigar o país a debater a culpabilização das vítimas de violência sexual. Kelly Chopard, que é professora e conselheira em escolas primárias e secundárias, disse à rapariga que ela agiu como uma promíscua e que deveria ficar agradecida pelo violador ter usado preservativo.

A rapariga escreveu à colunista da rubrica "Dear Kelly", na revista Teenage, para adolescentes, dizendo que estava "muito infeliz" e que não podia revelar o que lhe tinha acontecido a ninguém porque tinha medo da reação dos pais, segundo a BBC. A jovem confessou que tinha mentido aos pais para passar a noite na casa de um rapaz e que tinha bebido, pela primeira vez, tendo ficado sem reação quando o rapaz lhe tirou a roupa. A rapariga, que não revelou o nome, acordou no dia seguinte nua na cama e sem saber o que tinha acontecido. O rapaz disse-lhe então que não sabia que ela era virgem.

"Tu deste a ideia de que estava tudo bem", respondeu a conselheira. "Não o culpo por pensar que tu não eras virgem. Tu agiste como uma rapariga que já teve vários parceiros."

A maioria das pessoas não vai acreditar que és assim tão inocente

"Sei que és totalmente inocente mas não consigo imaginar como podes ser tão ingénua. Não lês jornais, revistas? Não vês televisão?", perguntou a colunista. "Sinceramente, eu percebo porque ele interpretou de forma errada o facto de teres aceitado o convite", escreveu Chopard. "A maioria das pessoas não vai acreditar que és assim tão inocente".

A conselheira disse ainda que a rapariga era muito ingénua e que "de alguma forma" não percebeu o que poderia acontecer se a jovem ficasse sozinha com um rapaz à noite. "Não podes voltar atrás no tempo. Podes é ficar agradecida por ele ter usado preservativo, assim não tens de te preocupar com uma gravidez não planeada e ou doenças sexualmente transmissíveis", acrescentou. "Nunca mais mintas aos teus pais".

A resposta da colunista, que segundo a descrição da revista é professora e conselheira em escolas primárias e secundárias em Singapura, causou grande revolta no país. A mulher está a ser acusada de culpar a vítima. "Não é preciso usar as palavras 'a culpa é tua' para culpar a vítima", disse Jolene Tan, do Aware, um centro que presta auxílio a vítimas de violência sexual.

"É por esta razão que as raparigas têm medo de apresentar queixa quando são violadas. É por esta razão que os homens escapam sempre", escreveu um utilizador no Facebook. "Não acredito que este artigo sem sentido antiquado, sexista e que culpa a vítima foi publicado", escreveu outro.

A revista pediu desculpas pelo artigo e afirma que "não tinha a intenção de culpar a vítima ou dar a entender que uma violação é aceitável". No comunicado publicado no Facebook, a equipa da revista diz ainda que a coluna " Dear Kelly" é um espaço aberto para jovens com problemas e que Kelly Chopard é uma profissional experiente.

Chopard também pediu desculpas pelas declarações polémicas. "Não houve intenção de culpar a vítima, apenas de realçar que as ações têm consequências", afirmou Chopard num comunicado. "Nunca a culpei. Eu disse que ela era ingénua", explica a conselheira. "Foquei-me no perigo em que esta rapariga se colocou. Foquei-me em ajudá-la a ver que o comportamento dela passou a mensagem errada para o rapaz". "Ninguém lamenta mais por esta rapariga do que eu", disse a conselheira.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG