Restrições de Trump impedem realizador nomeado para os Óscares de entrar nos EUA

Farhadi venceu o Óscar de melhor filme estrangeiro, em 2012, com o drama "Uma Separação"

O realizador iraniano Asghar Farhadi, que dirigiu "O vendedor", nomeado para o Óscar de melhor filme estrangeiro, não vai poder entrar nos Estados Unidos, para assistir à entrega dos prémios da Academia de Hollywood, foi revelado no sábado.

O National Iranian American Council confirmou no sábado à noite, em Washington, que Asghar Farhadi não poderá entrar nos Estados Unidos, para assistir à cerimónia de entrega dos Óscares da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, no dia 26 de fevereiro, por causa das restrições impostas à imigração, pelo presidente norte-americano Donald Trump, noticiou a CBS News.

O filme de Asghar Farhadi, "O vendedor", que se estreou em Portugal no passado mês de dezembro, inspira-se em "A Morte do Caixeiro Viajante", uma peça do dramaturgo norte-americano Arthur Miller.

Farhadi venceu o Óscar de melhor filme estrangeiro, em 2012, com o drama "Uma Separação".

Na quinta-feira, a atriz iraniana Taraneh Alidoosti, protagonista do filme, disse que se recusaria a ir aos Estados Unidos, para assistir à cerimónia dos Óscares, num protesto à proibição de entrada de refugiados provenientes de países muçulmanos, como o Irão e o Iraque.

Numa ordem executiva assinada na sexta-feira, Donald Trump suspendeu a entrada de refugiados nos Estados Unidos por pelo menos 120 dias e impôs um controlo mais severo aos viajantes oriundos do Irão, Iraque, Líbia, Somália, Síria e Iémen durante os próximos três meses.

"Vamos ter uma proibição muito, muito severa e vamos ter verificações completas, o que já devíamos ter neste país há muitos anos", sublinhou.

Desde sexta-feira que viajantes oriundos daqueles países foram impedidos de entrar em aviões com destino aos Estados Unidos, desencadeando protestos em vários aeroportos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG