Eleições marcadas por questão racial dão vitória a republicana no Mississippi

Cindy Hyde-Smith derrotou o afro-americano Mike Espy na corrida. A segunda volta ficou marcada por uma declaração da senadora, que afirmou que participaria num "enforcamento público", tornando a história de linchamentos racistas do Mississippi um dos temas principais

A senadora republicana dos Estados Unidos, Cindy Hyde-Smith, venceu a segunda volta das eleições no Mississippi e tornou-se na primeira mulher eleita para o Congresso por aquele estado norte-americano.

Nas eleições de terça-feira, Hyde-Smith, de 59 anos, derrotou o democrata Mike Espy, um ex-secretário de agricultura dos Estados Unidos que esperava tornar-se o primeiro senador afro-americano do Mississippi.

A segunda volta naquele estado foi abalada por um vídeo em que esta disse a um apoiante que participaria num "enforcamento público" se ele a convidasse. Posteriormente, a então candidata justificou a frase como uma "expressão exagerada de respeito". O comentário fez da história de linchamentos racistas do Mississippi, um estado profundamente marcado por violência racista, um dos temas principais da segunda volta.

O Presidente Donald Trump, que já deu os parabéns a Hyde-Smith no Twitter, chegou a participar em comícios com Hyde-Smith, manifestando-lhe apoio depois dos comentários da senadora terem sido tornados públicos.

A vitória permite a Hyde-Smith completar os dois últimos anos do mandato do senador Thad Cochran.

Cochran tinha-se aposentado em abril e Hyde-Smith substituiu-o temporariamente. A vitória faz de Hyde-Smith a primeira mulher eleita para o Congresso pelo estado do Mississippi.

A segunda volta naquele estado foi abalada por um vídeo em que esta disse a um apoiante que participaria num "enforcamento público" se ele a convidasse. Posteriormente, a então candidata justificou a frase como uma "expressão exagerada de respeito". O comentário fez da história de linchamentos racistas do Mississippi um dos temas principais da segunda volta.

O Presidente Donald Trump chegou a participar em comícios com Hyde-Smith, manifestando-lhe apoio depois dos comentários da senadora terem sido tornados públicos.

Os republicanos garantiram, com esta vitória, 53 dos 100 assentos no Senado.