Rita Ora entre as celebridades que vão declarar se são pagas pelas publicações

São 16 as celebridades que aceitaram mudar a forma como promovem produtos nas redes sociais, depois dos avisos da Autoridade da Concorrência e Mercados do Reino Unido. A partir de agora vão assinalar se as publicações que fazem são ou não pagas pelas marcas.

As cantoras Ellie Gounding e Rita Ora, bem como as modelos Rosie Huntington-Whiteley e Alexa Chung estão entre as 16 celebridades que acordaram mudar a forma como promovem produtos nas redes sociais. Seguindo os avisos do regulador, a Autoridade da Concorrência e Mercados do Reino Unido (CMA, na sigla inglesa), estas personalidades que reúnem milhões de seguidores nas redes sociais vão passar a identificar as publicações pagas pelas marcas.

Esta maior transparência na forma como as personalidades que exercem influência comunicam nas redes sociais surge após o alerta do regulador de que podiam estar a violar as leis de proteção do consumidor. De acordo com a CMA, as recomendações de celebridades e influencers é uma estratégia em crescimento das marcas, mas pode enganar os consumidores, uma vez que nem sempre é claro que a publicação é paga. Podem sugerir que se trata de uma opinião pessoal sobre determinado produto ou serviço quando na verdade é apenas publicidade.

"Os influenciadores podem ter um impacto enorme no que os seus seguidores decidem comprar. As pessoas poderiam, com razão, se sentirem enganadas se o que achavam ser uma recomendação de alguém que admiram fosse uma jogada de marketing", afirma Andrea Coscelli, diretor executivo da CMA, em comunicado.

Podem enfrentar multas e penas de prisão

Para este responsável, a pessoa deve ser capaz de identificar "logo que olha para um post, se houve alguma forma de pagamento ou recompensa envolvida" para assim decidir se vale realmente a pena gastar dinheiro.

Esta ação de "fiscalização" do regulador do Reino Unido "envia uma mensagem clara a todos os influenciadores, marcas e empresas" que devem ser "claros com seus seguidores".

Em comunicado, a CMA refere que as 16 celebridades acordaram de forma voluntária informar nas suas publicações se foram pagos pelas marcas ou se receberam presentes e empréstimos de produtos que promovem nas redes sociais, depois da investigação do regulador, que começou em agosto do ano passado.

Caso não mudem a forma como interagem com os milhões de seguidores na promoção de produtos, as celebridades podem ser levadas à justiça e enfrentar pesadas multas e penas de prisão até dois anos.

Cristiano Ronaldo entre as celebridades mais bem pagas por post no Instagram

A CMA fez saber que escreveu cartas a outras celebridades alertando-as para rever a forma como publicam nas redes sociais.

As marcas pagam de 9 mil euros a mais de 90 mil por um único post numa rede social, dependendo do tamanho, do engajamento e da lealdade dos seguidores. A Unilever confirmou que a prática representa "dezenas de milhões" de seu marketing de 7,7 mil milhões de euros no ano passado, relatou a Reuters.

Os mais famosos podem ganhar ainda mais. As estrelas de reality-show Kylie Jenner e Kim Kardashian, a cantora Selena Gomez e o jogador de futebol português Cristiano Ronaldo são as celebridades mais bem pagas por post no Instagram, ganhando até 870 mil euros por publicação, de acordo com a HopperHQ, empresa de gestão de posts no Instagram.

Estas postagens costumam ser marcadas como "parceria paga por", "patrocinado" ou "#ad" para indicar que as estrelas foram pagas pelas marcas em questão para promoverem os produtos.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG