Recorde dos últimos 20 anos. Armas de fogo mataram 40 mil pessoas nos EUA

Os números de 2017 são os mais altos dos últimos 20 anos. Mais de 60% destas mortes ocorreram por suicídio. EUA estão entre os seis países que registam mais de metade das mortes por armas de fogo em todo o mundo, ao lado do México, Brasil ou Guatemala.

O aumento do número de suicídios fez subir a morte causada por armas de fogo nos Estados Unidos para os números mais altos nos últimos 20 anos. Em 2017, 39 773 pessoas nos EUA perderam a vida por causa de uma arma, de acordo com os mais recentes números do Centro para o Controlo e Prevenção de Doenças, avança o Guardian .

Tal significa que 12 em cada 100 mil pessoas morreram por este motivo. Para que se perceba a dimensão, e segundo um recente estudo da Jama Network, as mortes pelo mesmo motivo no Japão são de 0,2 em cada 100 mil pessoas, 0,3 no Reino Unido, 0,9 na Alemanha e 2,1 no Canadá.

Dados da Jama mostra ainda que seis países do mundo são responsáveis por mais de metade das 250 mil mortes por armas de fogo por ano em todo o mundo. Os Estados Unidos estão entre esses seis países, ao lado do Brasil, México, Colômbia, Venezuela e Guatemala.

Embora a atenção pública esteja centrada nos massacres levados a cabo com armas, e em 2017 ocorreu o tiroteio mais mortífero da história moderna dos EUA, com 58 mortos, em Las Vegas, entretanto reivindicado pelo Estado Islâmico, é o suicídio a maior causa de morte por armas de fogo no país, representando 60% das mortes.

Dados da CDC mostram que, em 2017, 6,9 em 100 mil pessoas, quase 24 mil pessoas, suicidaram-se com uma arma. O Fundo Educacional para parar a violência armada nota que a violência e suicídios com armas de fogo não tem uma localização aleatória, mas ocorrem com maior incidência onde há mais pessoas com armas e a legislação aplicada à posse de armas é mais liberal.

Segundo as estatísticas da CDC, os números mais altos de suicídio ocorreram nos três estados onde existe maior posse de armas: Montana, Wyoming e Alasca. Dakota Jablon, analista do Education Fund, afirma que "olhando para estes números é claro que ter simplesmente armas por perto aumenta o perigo."

Em relação aos homicídios, 14 542 pessoas foram mortas por armas de fogo em 2017, uma proporção de 4,6 para 100 mil. Em 2010 era de 3,6 em cada 100 mil.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG