Recaída de Bolsonaro obriga médicos a pôr-lhe uma sonda

Presidente brasileiro está internado desde domingo, tendo sido submetido na segunda-feira a uma cirurgia para remover a bolsa de colostomia que usava desde que foi esfaqueado na campanha. Apesar de internado, Bolsonaro mantém-se em funções.

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que continua internado depois de ter feito uma operação para remover a bolsa de colostomia que usava desde que foi esfaqueado na campanha, teve uma recaída e foi necessário colocar-lhe uma sonda nasogástrica "devido a episódio de náusea e vómito".

"Pela tarde, meu pai teve uma recaída, mas está nas mãos de profissionais excecionais e a situação se normalizou. Está descansando vendo a sua equipa jogar. Continuem com as orações e apoio! Faz toda a diferença!", escreveu no Twitter um dos filhos do presidente, Carlos Bolsonaro.

Numa segunda mensagem, acrescentou: "Ele sentiu um pouco de mal-estar, o que é normal no processo, mas já está bem. Podem ficar tranquilos!"

O próprio Bolsonaro, que está internado no hospital Albert Einstein (São Paulo) desde domingo, usou as redes sociais, publicando apenas um emoji para indicar que estava tudo bem.

A Folha de São Paulo, que cita assessores, "a reação de Bolsonaro é normal e decorrente da retomada da função intestinal. A sonda foi colocada para retirar o líquido em excesso que permanecia no estômago e foi mantida, caso seja necessário repetir o procedimento".

Os médicos indicaram também que o presidente não tem dor nem febre e que os exames laboratoriais estão normais. "Continua em jejum e nutrição parenteral [modo de administração é feito por qualquer via que não seja a oral ou intestinal] exclusiva", segundo o comunicado.

Apesar de internado, presidente mantém-se em funções, tendo passado a pasta ao vice, Hamilton Mourão, durante apenas 48 horas.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG