Breivik diz que lutará "até à morte" pelo nacional-socialismo

O detido de 37 anos, acusa a Noruega de tratamento "desumano" e "degradante"

O radical de direita Anders Behring Breivik, que matou 77 pessoas na Noruega em 2011, afirmou hoje que lutará pelo nacional-socialismo "até à morte", no âmbito do seu processo contra o Estado sobre as condições da sua detenção.

O detido de 37 anos, que acusa ainda a Noruega de tratamento "desumano" e "degradante", considera que o "Estado está a tentar matá-lo desde há cinco anos", ao mante-lo em isolamento.

Na terça-feira, Breivik, fez uma saudação nazi no início do processo contra o Estado, que acusa de tratamento desumano e degradante na prisão.

Depois de ter entrado no pretório, um ginásio da prisão de Skien, no sul da Noruega, transformado para a ocasião, Breivik voltou-se por instantes para os jornalistas e, em seguida, estendeu o braço direito, sem pronunciar uma única palavra, segundo a agência noticiosa AFP.

Desde que foi condenado a 21 anos de prisão - prorrogáveis de forma indefinida - em 2012, Breivik, de 37 anos, tem estado num estabelecimento de segurança máxima.

Primeiro, na prisão de Ila, a oeste de Oslo, e agora em Skien, ao sul da capital.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG