Quer comprar um castelo na República Checa? É barato, mas...

Propriedades históricas estão à vende desde 12 mil euros. Porém, os novos donos terão que pagar as obras de restauro, que podem custar dez vezes mais

O preço de venda é apelativo. A propriedade ainda mais: um castelo com janelas altas, amplos salões e até um brasão a atestar a nobreza do edifício. Os edifícios antigos estão à venda na República Checa por uma pechincha, como o castelo de Libejovice, a duas horas de Praga. Mas, como todo o negócio de compra e venda, o baixo preço traz sempre um "mas": os novos proprietários terão que pagar todas as obras de recuperação, as quais podem custar dez ou mais vezes do que o valor da compra.

Em declarações ao site da Bloomberg, Natalia Makovik, fundadora da VIP Castle, uma imobiliária especializada em edifícios históricos explicou: "Quando vejo um lugar em ruínas, vejo uma oportunidade para investimento".

Segundo esta agente imobiliária, o cliente pode ficar descansado porque os custos de construção e mão-de-obra são bem modestos em relação ao mercado da União Europeia. E o governo, em muitos casos, concede "descontos" para quem renovar um lugar histórico.

Com um catálogo de mais de 2 mil castelos e palácios, há muitas oportunidades para investimento na República Checa. Comparados com palácios na França, Reino Unido, Itália ou Alemanha, são de fato uma pechincha, quando comparados com os milhões pagos noutros países pelo mesmo tipo de imóveis.

A maioria dos potenciais compradores de castelos europeus é formada por oligarcas russos e milionários chineses. "Essas pessoas têm tudo na vida - carros, jatos particulares, casas de praia", diz Natalia. "Mas quando eles vêm um castelo, com sua história, seus olhos brilham. É como um conto de fadas para eles". Nem que seja para serem reis por um dia

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG