Quem era a "Kim Kardashian do crime organizado" que foi encontrada morta no México?

A alcunha foi dada pela imprensa estrangeira. No México, Claudia Ochoa Félix era conhecida como "a imperatriz de Los Ántrax", o grupo de assassinos com ligação ao cartel de Sinaloa, de El Chapo.

Claudia Berenice Ochoa Félix, conhecida no México como a "imperatriz de Los Ántrax" e no estrangeiro como a "Kim Kardashian do crime organizado", foi encontrada morta no fim de semana na cidade de Culiacán. Segundo as autoridades, morreu por asfixia por broncoaspiração, causada pelo consumo de bebidas alcoólicas e outras substâncias.

Ochoa Félix tinha 35 anos e nenhum antecedente criminal. Com formação em enfermagem e mãe de três filhos menores, saltou para a ribalta quando vieram a público imagens partilhadas nas redes sociais em que aparecia com armas de fogo, em veículos e carros de luxo.

Foi então apelidada de "imperatriz de Los Ántrax", o grupo de assassinos com ligações ao cartel de Sinaloa, que foi liderado por El Chapo Guzmán (atualmente preso nos EUA), dizendo-se que liderava o grupo desde a detenção do anterior chefe, José Rodrigo Aréchiga Gamboa, conhecido como "El Chino Ántrax". Os rumores é que tinha uma relação com ele, mas o pai dos filhos será um dos supostos tenentes do cartel de Sinaloa, "El Chavo Felix".

Em junho de 2014, junto aos filhos e ao irmão, leu um documento em que alegava ser vítima de calúnias e difamações, que a deixavam em perigo de vida. Negou então ter ligação aos cartéis, assim como ser a mulher que aparecia nas fotografias nas redes sociais.

O jornal britânico The Telegraph, nessa ocasião, escreveu: "Sósia de Kim Kardashian com uma Ak-47 cor-de-rosa acusada de ser a líder de um cartel de droga do México", numa referência às suas semelhanças físicas com a socialite norte-americana, mulher do Kanye West.

Segundo o jornal mexicano El Universal, Ochoa Félix morreu após uma noite de festa. Depois de ter estado com um jovem numa discoteca, foi para uma casa na Ilha Musalá, em Culiacán, onde terá continuado a consumir bebidas alcoólicas e outras substâncias. A certa altura, o acompanhante percebeu que ela não acordava e chamou a polícia, que a encontrou sem vida, nua, na cama do alegado amante.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG