PSOE lidera intenções de voto e extrema-direita entra no Parlamento de Espanha

Uma sondagem publicada esta quarta-feira pelo El Mundo indica que o PSOE seria o partido mais votado, com 22,6% dos votos, em caso de eleições legislativas em Espanha, e o partido de extrema-direita Vox entraria no Parlamento, com 12,9%.

A primeira sondagem eleitoral do ano baixa as previsões de votação no PSOE (Partido Socialista Operário Espanhola) em quase quatro pontos percentuais em relação a uma sondagem idêntica realizada em julho passado (26,3%).

Neste cenário, o atual primeiro-ministro, Pedro Sánchez, não se poderia manter no poder, com a direita espanhola (PP, Cidadãos e Vox) a conseguir a maioria absoluta dos deputados na câmara baixa do parlamento.

O Partido Popular (PP, direita) obteria, segundo os dados desta sondagem, 19,2 % (22,3% em julho) dos votos, logo seguido pelo Cidadãos (liberais) que conseguiria 18,8% (24,2%).

O avanço da direita faz-se em grande parte devido à progressão do Vox, que na sondagem de julho não entrava no parlamento e agora consegue 12,9% de intenção de votos.

Este partido foi criado em 2013 e fez a sua entrada em força na política espanhola em dezembro passado, nas eleições na Andaluzia (Sul), denunciando a chegada de migrantes pelo mar àquela região e a política de diálogo com os independentistas catalães iniciada por Pedro Sánchez.

PP e Cidadãos chegaram em 26 de dezembro a um acordo para governar a Andaluzia, mas para ser investidos precisam agora dos representantes da extrema-direita.

Nas últimas eleições gerais em Espanha, realizadas em junho de 2006, o PP teve 33,0% dos votos, o PSOE 22,7%, o Unidos Podemos (extrema-esquerda) 21,1% e o Cidadãos 13,1%.

A sondagem, realizada pela Sigma Dos, foi feita pelo telefone junto de 1.000 eleitores entre 21 e 27 de dezembro.

Exclusivos