Protestos violentos em Colónia contra congresso da extrema-direita

Partido Alternativa para a Alemanha (AfD) está reunido em Colónia

Dois polícias ficaram feridos e um carro das autoridades foi incendiado este sábado durante os protestos na cidade alemã de Colónia, enquanto 600 delegados do partido de extrema-direita alemão Alternativa para a Alemanha (AfD) se reúnem em congresso para discutir a estratégia para as eleições de setembro.

Um porta-voz da polícia de Colónia, citado pela agência Reuters, admitiu que a situação na cidade era "muito dinâmica" e "bastante agressiva" em algumas áreas.

Mais de quatro mil agentes da polícia, muitos da força de intervenção, estão em Colónia preparados para os confrontos, já que eram esperados nas ruas este sábado cerca de 50 mil manifestantes contra o partido da extrema-direita, incluindo mil ativistas de extrema-esquerda.

A mesma fonte referiu que a polícia parou cerca de 100 manifestantes na manhã de sábado para lhes controlar a identidade, mas não foram detidos.

A televisão alemã mostrou imagens de um grupo de cerca de 50 pessoas em confrontos violentos com a polícia; um correspondente revelou que a polícia usou gás pimenta contra alguns dos manifestantes.

A AdD, que tem criticado a decisão de Angela Merkel de acolher mais de um milhão de migrantes nos últimos anos, deverá recolher nas urnas os votos de 8% a 10% dos alemães, segundo as últimas sondagens.

Frauke Petry, uma das líderes do partido, sofreu um golpe no início do congresso quando a moção que apresentou, que incentivava à formação de alianças com outros partidos em vez de insistir em ser uma força da oposição a longo prazo, foi rejeitada.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG