Prisão sem fiança para autor de massacre em sinagoga de Pittsburgh

Um juiz federal norte-americanos decretou prisão sem fiança para o autor do massacre de sábado na sinagoga de Pittsburgh, que compareceu hoje pela primeira vez em tribunal acusado de crimes de ódio pelo assassínio de 11 pessoas.

O juiz decidiu aceitar o pedido do ministério público para que Rob Bowers permaneça na prisão sem fiança enquanto decorrer o seu julgamento, por considerar que o arguido representa um perigo para o resto da população.

Robert Gregory Bowers, ferido pela polícia no tiroteio que levou à sua detenção, teve alta hospitalar hoje de manhã e compareceu de cadeira de rodas no tribunal perante o qual responderá por um total de 29 acusações: 11 por assassínio de pessoas que estavam a exercer o seu direito à liberdade de culto, 11 por uso de arma de fogo para cometer assassínio e outras sete relacionadas com o tiroteio entre o acusado e as autoridades.

O ministério público recordou no pedido para que o acusado permanecesse na prisão que estes crimes são puníveis com pena de morte.

Inexpressivo, o arguido, que hoje foi trocando algumas impressões com os dois advogados oficiosos, deverá ser novamente presente a tribunal na próxima quinta-feira para o início das audiências preliminares sobre o caso.

Enquanto disparava, no passado sábado, de forma indiscriminada sobre as pessoas que se encontravam na sinagoga de Pittsburgh, no Estado da Pensilvânia, Bowers gritou que era preciso "matar todos os judeus", mensagem antissemita que levou o ministério público a classificar o ato como um crime de ódio.

Além disso, a imprensa local encontrou diversas mensagens por ele publicadas em grupos das redes sociais usados por supremacistas norte-americanos, em que fazia alarde do seu arsenal e manifestava ódio à comunidade judaica.

Rob Bowers entrou na sinagoga da Congregação da Árvore da Vida armado com uma espingarda semiautomática AR-15 e três pistolas Glock 57 e abriu fogo indiscriminadamente sobre os presentes que naquele momento assistiam a um batizado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG