Tsipras pede dissolução do Parlamento e eleições antecipadas na Grécia

Primeiro-ministro grego pediu hoje ao presidente, Prokopis Pavlópulos, a dissolução do Parlamento e a convocação de eleições antecipadas para 7 de julho.

O primeiro-ministro grego, Alexis Tsipras, formalizou a decisão de pedir eleições antecipadas junto do presidente, na sequência da derrota eleitoral do seu partido de esquerda, o Syriza, nas eleições europeias e locais a 26 de maio. O Syriza ficou a 9,5 pontos atrás da conservadora Nova Democracia.

Perante estes resultados, iria decorrer um período de incerteza até às próximas eleições, dentro de quatro meses, que não seria favorável à economia do país e poria em risco os sacrifícios do povo grego, comunicou Tsipras ao presidente Pavlópulos.

"Por esse motivo peço-lhe, assumindo toda a responsabilidade, que dissolva o Parlamento e convoque eleições para renovar o mandato popular", acrescentou.

A campanha eleitoral será aberta assim que o presidente publique o correspondente decreto, o que se prevê que ocorra na terça-feira, o mais tardar.

O objetivo do Syriza é reduzir, o mais possível, a ampla vantagem da Nova Democracia, que, segundo a primeira sondagem depois das eleições europeias, alcança já os dez pontos percentuais.

Nesta tarde, Tsipras apresentará o seu programa de governo para o caso de obter um novo mandato, algo que, por agora, se antevê impossível.

Segundo avançou o governo grego, o novo programa inclui o compromisso de criar meio milhão de empregos nos próximos quatro anos, e um novo aumento do salário mínimo.

Também promete um sistema tributário mais justo, uma administração mais eficiente e maior atenção à proteção do meio ambiente.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG