Presidente do Irão: região do Médio Oriente está "à beira do colapso"

Hassan Rohani propôs aos países da região a criação de uma "coligação da esperança" que traga segurança e cooperação a nível regional.

O presidente do Irão, Hassan Rohani, alertou esta quarta-feira que um "único erro" na região do Médio Oriente pode "alimentar um grande incêndio", considerando que a região está "à beira do colapso".

Discursando perante a Assembleia Geral da ONU, Rohani defendeu que a região se tornará mais segura quando as tropas norte-americanas a abandonarem.

"A segurança não deverá depender da intervenção norte-americana e da sua armas", disse, insistindo: "A segurança não pode ser comprada ou fornecida por governos estrangeiros".

Referindo que os Estados Unidos não conseguiram resolver conflitos no Afeganistão, no Iraque e na Síria, o presidente iraniano declarou que Washington não será capaz agora de acalmar as tensões e trazer a paz à região.

A tensão entre os Estados Unidos e o Irão, depois do presidente Donald Trump decidir unilateralmente em maio de 2018 retirar o país do acordo nuclear iraniano com as principais potências e restabelecer sanções, aumentou bastante com o ataque no dia 14 a instalações petrolíferas na Arábia Saudita, que Washington atribui à República Islâmica.

Segundo Rohani, a solução para os problemas no Médio Oriente deve ser encontrada na região, apelando aos países vizinhos para nela participarem.

O chefe de Estado propôs aos países da região a criação de uma "coligação da esperança" que traga segurança e cooperação a nível regional.

A coligação seria baseada nos princípios da não-agressão e da não interferência nos assuntos internos, disse.

"Esta é a mensagem da nação iraniana: vamos investir na esperança de um futuro melhor em vez de guerra e violência (...) Vamos voltar à justiça, à paz, à lei, ao compromisso e à promessa e, finalmente, à mesa das negociações", disse Rohani.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG