Presidente do Irão acusa Trump de fazer bullying

Na ONU, Hassan Rouhani acusa presidente dos EUA de minar o multilateralismo, tentando inutilizar as organizações internacionais.

Respondendo a Donald Trump, o presidente do Irão, Hassan Rouhani, acusou a atual administração dos EUA de pôr em causa o multilateralismo, tentando minar a credibilidade de organizações internacionais, como a ONU, denunciando e retirando-se de acordos importantes para, em seguida, ir oferecer acordos bilaterais aos mesmos governos contra os quais esgrime críticas.

"Deve ser afastada de uma vez por todas a ideia de que se pode conseguir paz e segurança recusando a paz e a segurança de outros. Confrontar o multilateralismo não é um sinal de força mas um sinal de fraqueza e incapacidade de perceber um mundo interconectado. Os que procuram hegemonia são os inimigos da paz. A atual administração dos EUA parece querer tornar todas as instituições internacionais ineficazes. Os EUA saem do acordo e, depois, convidam o Irão para acordo bilateral. Em que bases vamos entrar num acordo com uma administração que se comporta desta maneira? O governo dos EUA quer derrubar o mesmo governo que convida depois para conversações", declarou o presidente do Irão, no discurso que fez nesta terça-feira na Assembleia Geral da ONU.

"A política da República Islâmica do Irão inscreve-se numa abordagem do multilateralismo", garantiu Rouhani, sublinhando que o Acordo de Viena do qual os EUA de Trump se retiraram resultou de anos de negociações internacionais entre várias partes. "O Irão tem cumprido todos os seus compromissos. Porém, os EUA não o fazem. A atual administração, violando os seus compromissos, retirou-se do acordo. A ONU não deve permitir isto nem admitir estratégias eleitorais internas dos seus membros", declarou, referindo-se ao uso que Trump faz da política externa para obter ganhos a nível interno.

"Os EUA ameaçam todos os Estados e organizações que cumprirem o acordo com o Irão. A visão dos EUA das relações internacionais reflete bullying. Nenhum Estado pode ser levado à força à mesa das negociações. No fim de contas não há outra forma que não seja o diálogo. O diálogo deve ser feito de forma igual e em respeito pelo direito internacional. O diálogo pode começar aqui mesmo, nas Nações Unidas, com quem abandonou a mesa das negociações", afirmou Rouhani, devolvendo a bola ao campo de Trump.

Exclusivos

Premium

Espanha

Bolas de aço, berlindes, fisgas e ácido. Jovens lançaram o caos na Catalunha

Eram jovens, alguns quase adultos, outros mais adolescentes, deixaram a Catalunha em estado de sítio. Segundo a polícia, atuaram organizadamente e estavam bem treinados. José Manuel Anes, especialista português em segurança e criminalidade, acredita que pertenciam aos grupos anarquistas que têm como causa "a destruição e o caos" e não a luta independentista.