Presidente de Israel pede ao parlamento para formar novo governo

Deputados têm três semanas para recomendar ao presidente o nome de um parlamentar que tentará formar governo, correndo-se o risco de os israelitas terem de voltas às urnas.

O presidente israelita, Reuven Rivlin, pediu esta quinta-feira ao parlamento para encontrar um novo candidato para formar o próximo governo, depois de as negociações com o centrista Benny Gantz e o primeiro-ministro, Benjamim Netanyahu, terem terminado sem acordo.

Netanyahu e seu rival Gantz não chegaram a acordo sobre um governo de unidade nacional dentro do prazo, que expirou às 00:00 locais (22:00 de quarta-feira em Lisboa).

Por isso, o presidente de Israel Reuven Rivlin instruiu "o Knesset a formar um governo", adiantou o seu gabinete.

Segundo a lei eleitoral israelita, os parlamentares têm agora três semanas para recomendar ao presidente um deputado que tentará formar um governo e conseguir a aprovação de uma maioria de 61 deputados (Netanyahu conta com 59).

Se o parlamento não conseguir, o país terá de voltar a ir a votos.

As equipas de negociação do Likud de Netanyahu e o partido centrista de Kahol Lavan de Benny Gantz, no entanto, anunciaram já que pretendem continuar as negociações.

Benny Gantz, antigo general e líder da coligação centrista Azul e Branca (cores da bandeira israelita), foi encarregue de formar Governo após as legislativas de 2 de março, as terceiras em menos de um ano e mais uma vez sem resultados conclusivos.

Numa tentativa de ultrapassar o impasse, Gantz candidatou-se e conseguiu a presidência do parlamento, renunciando para já ao seu projeto de se tornar primeiro-ministro e consentindo formar um Governo conduzido por Netanyahu.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG