PR angolano recebe Rafael Marques amanhã antes do Conselho de Ministros

O presidente da República de Angola, João Lourenço, vai receber o jornalista Rafael Marques esta quarta-feira às 09.00, antes do conselho de ministros

João Lourenço recebe o jornalista depois de esta terça-feira os seguranças da Presidência da República terem impedido Rafael Marques de entrar numa audiência em que participaram várias entidades e o também jornalista Luaty Beirão.

A presidência assumiu o erro e marcou uma nova audiência para a manhã desta quarta-feira (dia 5).

Uma falha que foi assumida num post no Facebook pelo Secretário da Comunicação do governo angolano, Luis Fernando. "Uma falha lamentável, à entrada no Palácio, impediu hoje RAFAEL MARQUES de participar da audiência colectiva do PRESIDENTE DA REPÚBLICA com representantes de organizações da sociedade civil.O que não aconteceu hoje, acontecerá amanhã....e a vida prossegue", escreveu.

O incidente que envolveu Rafael Marques foi contado pelo próprio no site makaangola, onde explicou num primeiro momento que a entrada no palácio foi recusada "por não constar da lista de convidados".

Num segundo texto, o jornalista confirma que vai ser recebido esta quarta-feira, às 09.00. "O presidente João Lourenço convida-me para uma audiência privada amanhã, às 9h00, no palácio presidencial", começa por escrever, explicando: "Através do seu diretor de gabinete, Edeltrudes Costa, o presidente lamenta o incidente desta manhã, durante o qual fui impedido de entrar no palácio como integrante da delegação da sociedade civil. Estou a par das investigações em curso parra o apuramento do sucedido e, como fiz notar, acredito na boa vontade do presidente. Desse modo, será uma honra encontra-me com ele amanhã."

Rafael Marques frisa que várias pessoas "tiveram o cuidado de me enviar notas sobre as principais preocupações do nosso povo, da nossa sociedade, para que eu as abordasse com o presidente João Lourenço. Farei questão de lhe pedir um minuto adicional da sua atenção para expor algumas dessas procupações de interesse nacional".

E termina o texto com a seguinte frase: "Amanhã vou ao palácio.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG