Portugal sabotou o Natal da Venezuela, acusa o presidente Maduro

Líder venezuelano afirmou que navios que transportavam o tradicional pernil de porco natalício foram objeto de sabotagem portuguesa. Mas não concretizou como

Na consoada natalicia, o bacalhau está para Portugal como o pernil de porco para a Venezuela. Este ano, perante a falta de alimentos naquele país, o Presidente Nicolás Maduro prometeu que o tradicional pernil não faltaria nas mesas venezuelanas. Incapaz de cumprir a promessa feita, Nicolás Maduro apontou Portugal como responsável.

"Com a entrega do pernil, fomos sabotados. Um país em particular, Portugal. Porque nós comprámos todo o pernil que havia na Venezuela, mas precisávamos de comprar fora para preencher todas as necessidades e sabotaram-nos a compra do pernil", disse Nicolás Maduro citado pelo jornal venezuelano El Nacional.

"Fiz um plano, que cumprimos, mas sabotaram-nos o pernil. Os barcos que os traziam foram sabotados ", garantiu o Presidente venezuelano, sem nunca concretizar em que consistiriam os alegados atos de sabotagem.

O pernil seria oferecido à população pelo Presidente e distribuído através dos Comités Locais de Abastecimento e Produção, mas as peças de carne nunca chegaram a estes organismo. Justificando o ocorrido, o Presidente Maduro apontou o dedo a Portugal.

Mesmo que os navios tivessem chegado, aparentemente a promessa de pernil para os venezuelanos estariam sempre condenada ao falhanço já que, segundo disse o chefe de estado, diversos países bloquearam as contas bancárias que seriam usadas para saldar os pagamentos.

Entretanto, o governo português já respondeu a Maduro.

Exclusivos