Polícia macedónia volta a lançar gás lacrimogéneo contra migrantes

Polícia lançou o gás quando cerca de 100 migrantes abanavam a vedação em protesto contra o encerramento da fronteira pela Macedónia

A polícia da Macedónia lançou hoje gás lacrimogéneo e granadas de atordoamento contra uma centena de migrantes que se manifestavam ao longo da fronteira com a Grécia, três dias depois de incidentes semelhantes terem feito dezenas de feridos.

Segundo um jornalista da agência France Presse no local, a polícia lançou o gás quando cerca de 100 migrantes abanavam a vedação de arame farpado em protesto contra o encerramento da fronteira pela Macedónia.

A algumas centenas de metros, do lado macedónio da fronteira, decorria uma visita oficial do Presidente da Macedónia, Gjorge Ivanov, e dos homólogos croata, Kolinda Grabar Kitarovic, e esloveno, Borut Pahor, ao centro de acolhimento de migrantes de Gevgelija.

Quando começaram os incidentes, cerca das 09:30 TMG (10:30 em Lisboa), quatro dezenas de polícias gregos colocaram-se entre a vedação e os migrantes e os disparos de gás lacrimogéneo cessaram rapidamente, segundo o jornalista. Os migrantes continuaram o seu protesto.

No domingo, pelo menos 260 migrantes ficaram feridos quando a polícia macedónia lançou gás lacrimogéneo contra centenas de migrantes que tentaram forçar a vedação.

A organização não-governamental Médicos Sem Fronteiras disse ter assistido migrantes com ferimentos provocados por balas de borracha, mas o governo da Macedónia negou a utilização desse tipo de projéteis.

Os incidentes de domingo foram condenados por Atenas, mas Skopje responsabilizou as autoridades gregas, acusando-as de passividade perante a tentativa dos migrantes de derrubar a vedação.

Apesar das múltiplas saídas para centros de acolhimento realizadas desde domingo, cerca de 10.600 pessoas permaneciam hoje no campo improvisado de Idomeni, do lado grego da fronteira.

Exclusivos