Polícia espanhola concluiu que piscina onde morreram pai e dois filhos cumpre requisitos

As vítimas mortais são um homem de 53 anos, o filho de 16 anos e a filha de 9 anos, todos de nacionalidade britânica, que estavam de férias em Espanha. Conclusões da polícia foram reveladas pelo proprietário do complexo turístico, que já foi autorizado a reabrir o equipamento.

O proprietário do complexo turístico onde está instalada a piscina em que três turistas britânicos morreram, na terça-feira, em Mijas (Málaga), Espanha, garantiu que a Guardia Civil já concluiu que a estrutura cumpre todos os requisitos e regulamentos em vigor. E que já foi autorizado a reabri-la.

A Guarda Civil espanhola anunciou que ia investigar se as mortes de um homem e dois filhos na piscina de um complexo turístico podiam estar relacionadas com uma falha no sistema de sucção.

Na ausência de resultados das autópsias para esclarecer as circunstâncias em que ocorreram as três mortes, os agentes do Grupo Especial de Atividades Subaquáticas da Guarda Civil também verificaram os motores da piscina e se, no fundo, havia roupas de alguma das vítimas mortais, além de recolher amostras de água, noticia a agência Efe.

As mortes ocorreram por volta das 13:30 de terça-feira (hora local), quando, segundo testemunhas, a menina de nove anos teve dificuldade em sair da piscina e o pai foi ajudá-la.

As vítimas mortais são um homem de 53 anos, o filho de 16 anos e a filha de 9 anos, todos de nacionalidade britânica, que estavam de férias em Espanha, juntamente com a mãe das crianças e um outro filho, que não estavam no local na altura.

A Polícia Judiciária da Guarda Civil recolheu declarações das pessoas que estavam naquela zona, assim como da mãe dos menores que morreram, que precisou de apoio psicológico.

O proprietário do complexo turístico Club La Costa World, onde a família estava hospedada, garantiu entretanto que a estrutura cumpre todos os requisitos e regulamentos em vigor.

Num comunicado hoje emitido, e citado pela agência Efe, o clube afirma que a Guarda Civil "levou a cabo uma investigação completa" a partir da qual se pode concluir que "a piscina cumpre todos os requisitos".

"Tudo isto confirmaria que se tratou de um acidente trágico, que nos causou grande comoção", lê-se no comunicado, precisando que a principal preocupação reside agora em cuidar e apoiar a família das vítimas.

O Club la Costa World adianta ainda já ter tido autorização para reabrir a piscina do complexo turístico.

A família tinha previsto estar de férias em Mijas entre 21 e 28 de dezembro.

(Notícia atualizada às 21.30 com comunicado emitido pelo proprietário do espaço)

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG