Polícia apreende em São Paulo carrinha que deve 7 milhões de euros em multas

Agentes mandaram parar Volkswagen de uma empresa que nunca pagara as 2278 multas devidas

Os agentes do Comando de Policiamento de Trânsito de São Paulo apreenderam uma carrinha Kombi, da Volkswagen, que acumulava 28,8 milhões de reais em multas, quase sete milhões de euros.

Segundo o jornal O Globo, o veículo circulava na zona leste da cidade. É de 2008 e propriedade de uma empresa, que nunca pagou as multas que lhe tinham sido aplicadas - 2278 no total. O homem que conduzia a carrinha, funcionário da empresa, tinha a carta de condução caducada desde 2013.

De acordo com a mesma fonte, o valor das multas é astronómico porque a pessoas jurídica proprietária do veículo, neste caso a empresa, não indicou o condutor que cometeu as infrações. Nesta situação, a legislação federal de trânsito prevê que o montante a cobrar seja multiplicado pelo número de vezes que a infração se repetiu no último ano.

O veículo foi apreendido e deverá ir a leilão, sendo que o valor arrecadado servirá para abater no total de multas devido. O valor remanescente da dívida vai permanecer em nome da empresa proprietária.

Exclusivos

Premium

Nuno Severiano Teixeira

"O soldado Milhões é um símbolo da capacidade heroica" portuguesa

Entrevista a Nuno Severiano Teixeira, professor catedrático na Universidade Nova de Lisboa e antigo ministro da Defesa. O autor de The Portuguese at War, um livro agora editado exclusivamente em Inglaterra a pedido da Sussex Academic Press, fala da história militar do país e da evolução tremenda das nossas Forças Armadas desde a chegada da democracia.

Premium

Maria Antónia de Almeida Santos

Dos pobres também reza a história

Já era tempo de a humanidade começar a atuar sem ideias preconcebidas sobre como erradicar a pobreza. A atribuição do Prémio Nobel da Economia esta semana a Esther Duflo, ao seu marido Abhijit Vinaayak Banerjee e a Michael Kremer, pela sua abordagem para reduzir a pobreza global, parece indicar que estamos finalmente nesse caminho. Logo à partida, esta escolha reforça a noção de que a pobreza é mesmo um problema global e que deve ser assumido como tal. Em seguida, ilustra a validade do experimentalismo na abordagem que se quer cada vez mais científica às questões económico-sociais. Por último, pela análise que os laureados têm feito de questões específicas e precisas, temos a demonstração da importância das políticas económico-financeiras orientadas para as pessoas.