"Pode-se ver que continuo vivo". Temer teve de fazer prova de vida para receber pensão

"No meu caso, é evidente que, enfim, diariamente pode-se ver que eu continuo vivo", argumentou Temer

O presidente brasileiro Michel Temer teve de confirmar que está vivo para voltar a receber a pensão, depois de não dois meses sem receber, por não ter feito prova de vida no tempo devido, segundo a AFP.

Os pensionistas brasileiros têm de confirmar anualmente que estão vivos, no mês do aniversário. Temer não cumpriu esta obrigação quando fez 77 anos em setembro - por "falta de tempo", segundo a presidência - e ficou sem receber a pensão mensal de 45 mil reais (cerca de 11 mil euros) em novembro e dezembro, segundo avançou O Globo esta semana.

"Há esta burocracia. Eu sou aposentado aqui, pelo estado de São Paulo, e tenho que provar, a cada aniversário, que continuo vivo, ou seja, tenho que comparecer ao setor competente e revelar, por uma declaração, que estou vivo", contou Temer em entrevista à RedeTV News. "Agora, no meu caso, é evidente que, enfim, diariamente pode-se ver que eu continuo vivo. Mas o fato é que, como não compareci nos meses, acho que novembro e dezembro, não houve pagamento da minha aposentadoria, não é?"

O presidente brasileiro encarou o problema com humor, dizendo que ficou contente por ser tratado como um brasileiro.

Temer reformou-se aos 58 anos, em 1999. Como presidente tem direito a um salário bruto de 30,9 mil reais, mas como recebe também pensão vê o seu rendimento cortado para se adequar ao limite do teto constitucional, explica o jornal A Folha de São Paulo - em outubro, último mês em que recebeu pensão, o rendimento de Temer ficou nos 22 mil reais.

.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG