Piratas informáticos ligados à Rússia atacam redes elétricas na Europa e EUA

Informação foi revelada pela Symantec, empresa norte-americana de segurança informática

Um grupo de ciber-espionagem associado à Federação Russa pirateou as redes elétricas na Europa e nos EUA, fazendo pairar a ameaça das avarias provocadas remotamente

Segundo a Symantec, o grupo Dragonfly 2.0 acedeu aos sistemas operacionais de redes elétricas nos EUA, na Turquia e na Suíça, e "é agora capaz de sabotar ou controlar estes sistemas se o decidirem".

A Symantec não ligou o Dragonfly 2.0, que opera há vários anos, a um país em concreto. Mas o governo dos EUA e vários especialistas da segurança informática associam o Dragonfly 2.0 ao governo russo e garantem que as suas raízes são russas.

Desde há vários anos que este grupo de piratas informáticos ataca alvos ocidentais

Mas desde o início de 2017 tem-se "concentrado" sobre sistemas energéticos, contra os quais tem multiplicado ataques, apontou a Symantec.

"O Dragonfly 2.0 parece ter compreendido o funcionamento das instalações energéticas e como tomar o controlo dos seus sistemas operacionais", avançou a empresa norte-americana.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG