Pelo menos 40 mortos em combates entre rebeldes no Iémen

Explosões e bombas foram ouvidas na capital do Iémen até ao amanhecer e os bairros em que ocorreram os confrontos também estão interditos

Os combates começaram hoje, antes do amanhecer, quando os 'houthis' tentaram invadir as casas de vários comandantes da Guarda Republicana, um corpo leal a Saleh, e de líderes do Partido do Congresso Popular, liderado pelo ex-Presidente.

Os confrontos, dos mais sangrentos que já foram registados entre essas duas forças, ocorreram nos bairros de Hadad, Bagdad e Al-Jazair, e no distrito político, onde fica a residência de Saleh.

Vários residentes disseram que os 'houthis' usaram tanques e veículos blindados para tentar invadir as residências dos apoiantes de Saleh.

Explosões e bombas foram ouvidas na capital do Iémen até ao amanhecer e os bairros em que ocorreram os confrontos também estão interditos.

Estes foram os conflitos mais sangrentos entre os apoiantes dos 'houthis' e Saleh, embora nos últimos meses tenham ocorrido vários episódios de escaramuças entre as duas fações, entre trocas de acusações de corrupção e chantagem política.

Os 'houthis', que são muçulmanos xiitas e apoiados pelo Irão, e as forças de Saleh seriam aliados na guerra contra o Presidente Abdo Rabu Mansur Hadi, internacionalmente reconhecido, que tem o apoio da coligação árabe liderada pela Arábia Saudita desde março de 2015.

Os rebeldes controlam Sana e grandes partes do norte e noroeste do país desde o início do conflito, no final de 2014, o que obrigou o Governo de Hadi a mudar-se para a cidade costeira de Áden, no sul do país.

Exclusivos