Passagem por elevador de mulher assintomática causa surto de 71 infetados

Estudo chinês mostra como uma pessoa assintomática terá iniciado um surto ao andar de elevador, sem contactar ninguém. O vizinho terá tocado nalguma superfície do elevador e a transmissão prosseguiu. Houve um total de 71 contagiados.

A simples passagem de uma mulher, infetada com o novo coronavírus mas assintomática, por um elevador de um edifício habitacional na China deu origem a um foco de Covid-19, com um grupo de 71 pessoas a ser contagiada.

De acordo com um relatório agora divulgado, a curta viagem da mulher pelo elevador do bloco de apartamentos terá sido o fator na origem do surto. O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças (CDC) publicou um estudo sobre este cluster na China, em que fica evidente a facilidade com que a Covid-19 se pode espalhar através de assintomáticos, além de destacar a importância do rastreamento imediato de contactos para se travar a transmissão.

Segundo o relatório, a mulher assintomática regressou dos EUA à província chinesa de Heilongjiang em março. Testada, apresentou resultado negativo, mas, como viajante internacional, foi convidada a entrar em quarentena na sua casa, onde morava sozinha. Segundo foi apurado, também estava sozinha no elevador quando seguiu para o apartamento e não entrou em contacto próximo com ninguém durante a quarentena.

Os três autores deste estudo verificaram que o vizinho do andar de baixo do apartamento da mulher usava o mesmo elevador. Em março, a mãe do vizinho e o namorado passaram a noite no apartamento, tendo o casal participado numa festa em que interagiu com outro homem e os seus dois filhos.

No início de abril, este homem sofreu um derrame e foi internado no hospital, onde os dois filhos estiveram frequentemente ao seu lado. Durante o período em que esteve no hospital, foi tratado por uma equipa médica que seguiu outros pacientes na enfermaria. Objetos, como o micro-ondas, também foram partilhados com outros doentes. Mais tarde, o homem desenvolveu febre e foi transferido para outro hospital.

Os especialistas só começaram a perceber a ligação quando o namorado da mãe do vizinho também desenvolveu sintomas e testou positivo ao SARS-CoV-2.

Não demorou muito tempo para um foco da doença estar formado. O vizinho, a mãe do vizinho e o homem que teve um derrame, todos deram positivo.

Durante o período em que este homem esteve no hospital, 28 outros foram infetados. Isso incluiu outros doentes e a equipa médica. Outras 20 pessoas foram contagiadas no segundo hospital para o qual o homem acabou por ser transferido.

Foi apenas no dia 9 de abril, exatamente três semanas depois da mulher ter regressado à China, que os investigadores estabeleceram o seu elo. Embora o teste da mulher tenha sido negativo, um posterior teste de anticorpos teve resultados positivos, o que é um indicador de que já tinha estado infetada.

O relatório do CDC afirma que a mulher provavelmente era portadora assintomática e que os vizinhos foram infetados ao tocar superfícies no elevador do prédio em que viviam.

Um total de 71 casos positivos de SARS-CoV-2 foram identificados neste foco.

"Os nossos resultados ilustram como uma única infeção assintomática de SARS-CoV-2 pode resultar em transmissão comunitária generalizada"; salientam os autores do estudo científico, apontando ainda que serve como exemplo para a importância dos rastreamento de contactos.

"Este relatório também destaca os recursos necessários para a investigação de casos e os desafios associados à contenção de SARS-CoV-2. Medidas contínuas para proteger, rastrear e isolar pessoas infetadas são essenciais para mitigar e conter a pandemia de Covid-19", lê-se no trabalho publicado pelos investigadores Jingtao Liu, Jiaquan Huang, e Dandan Xiange, de universidades e hospitais chineses.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG