Paris limita os carros e reserva mais 50 km de ruas para bicicletas e peões

A autarca Anne Hidalgo pretende evitar aglomerados de pessoas quando o confinamento começar a ser levantado. Junto as escolas as artérias serão reservadas apenas para peões.

Algumas das artérias mais movimentadas de Paris vão ficar reservadas apenas para ciclistas e peões, numa tentativa de limitar as aglomerações nos transportes públicos quando a França começar a levantar o confinamento provocado pelo novo coronavírus na próxima semana, disse a autarca da cidade.

"No total, 50 quilómetros de faixas normalmente usadas por carros serão reservadas para bicicletas", disse Anne Hidalgo ao jornal Le Parisien numa entrevista publicada esta terça-feira. O objetivo é, além de reduzir a poluição, privilegiar os meios de transporte individuais, seja de bicicleta ou a pé, já que os transportes públicos são de risco para o contágio.

A autarca também disse que outras 30 ruas serão reservadas apenas para peões, "principalmente junto a escolas para evitar grupos de pessoas".

Anne Hidalgo já tinha anunciado na semana passada que a Rue de Rivoli, a principal via leste-oeste do coração da capital francesa, será apenas para motos a partir de 11 de maio.

Outras ruas incluem o Boulevard Saint-Michel, no bairro de Saint-Germain, na margem esquerda, e o túnel sob a caótica zona no Arco do Triunfo.

Os automobilistas terão de deixar os veículos nos mais de 30 parques de estacionamento - muitos são novos, existiam 11 até agora - e depois seguir a pé ou de bicicleta para as zonas mais centrais da capital francesa.

Muitos subúrbios de Paris também anunciaram planos para novas ciclovias, na esperança de reduzir a pressão em comboios e autocarros muito utilizados, bem como no metro de Paris, onde muitos assentos estarão agora fora dos limites para manter as pessoas afastadas.

As autoridades de Paris estão a preparar-se para o regresso dos residentes, depois de cerca de 20 a 25% da população, entres os 2,2 milhões de habitantes, fugirem para casas de campo ou outros lugares antes que as ordens nacionais de permanência em casa entrassem em vigor em 17 de março.

Especialistas em saúde alertam que o distanciamento social necessário para evitar uma nova onda de casos de Covid-19 será difícil nas grandes cidades, especialmente para as pessoas que dependem do transporte público para trabalhar.

Hidalgo, que está a concorrer à reeleição, tem pressionado há anos para diminuir o uso de carros na capital, reduzindo faixas e limites de velocidade e fechando completamente dezenas de ruas.

Adiantou agora que alguns dos encerramentos de ruas podem tornar-se permanentes mesmo após a crise.

"Sei que a maioria dos parisienses não quer um regresso de carros e poluição", disse.

O governo francês divulgou um pacote de 20 milhões de euros para estimular o ciclismo após o confinamento, incluindo um subsídio de 50 euros para reparos ou ajustes de bicicletas.

"Quando o bloqueio terminar, precisamos de bicicletas para ocupar o seu lugar", como soluções de transporte, disse a ministra do Ambiente Elisabeth Borne na segunda-feira.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG