Paquistanês mata a mulher, dois filhos e seis outras pessoas em crime de honra

Muhammad Ajmal matou a mulher, os seus dois filhos e seis outros familiares da mulher. Depois incendiou a casa de família.

Um homem paquistanês é acusado de assassinar a mulher, dois filhos e outros seis familiares na passada segunda-feira. Muhammad Ajmal terá cometido o crime como vingança por um suspeito caso da mulher, Kiran, disse Imran Mehmood, oficial da Políticia Distrital da cidade paquistanesa de Multan, onde ocorreram os assassinatos. O homem tinha regressado da Arábia Saudita há 25 dias, onde trabalhava, com a intenção de realizar os assassinatos.

"Este foi claramente um crime de honra. Ele viu uma fotografia da mulher com outro homem e acreditou que ela estava a ter um caso", disse Imran Mehmood. "Ele não se arrepende das sua ações" e já confessou os crimes. Além de matar a mulher e os dois filhos, Ajmal matou ainda três cunhadas, dois dos filhos destas e a sogra.

O suspeito do crime e o seu pai, que estava presente no momento do crime, estão sob custódia e enfrentam acusações pelo crime de homicídio. A polícia está ainda à procura do irmão de Muhammad Ajmal, que se acredita que também pode estar envolvido no crime.

O irmão de Kiran, Ali Raza, informou que Muhammad Ajmal e a irmã tinham problemas conjugais. Foi por isso que se mudou de volta para o Paquistão, estando a viver com a família. "Fiquei apenas com meu pai, perdi toda a minha família", disse Ali Baza.

De acordo com o artigo publicado na Reuters, Ajmal ainda não recebeu um advogado e as autoridades paquistanesas não permitem que se contacte nenhum dos familiares para um comentário.

Em 2016, o Paquistão adotou legislação contra os crimes de honra, introduzindo punições duras e integrando uma lacuna que permitia aos assassinos andar livres se perdoados pelos membros da família da vítima. A polícia da mais populosa província do Paquistão, onde os crimes de honra assumem grandes proporções, disse recentemente que o número de homicídios diminuiu desde que a lei foi promulgada. Todavia, organizações dedicadas aos Direitos Humanos estimam que cerca de 1 000 assassinatos ocorram anualmente.

De acordo com os dados recolhidos pela Comissão de Direitos Humanos do Paquistão entre 2004 e 2016, registaram-se 15 222 casos de crimes de honra.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG