Papa Francisco justifica fim do beijo na mão com "higiene"

O Papa Francisco justificou o fim do beijo dos crentes na sua mão por uma "simples questão de higiene".

O porta-voz do Vaticano, Alessandro Gisotti disse que o Papa está preocupado com os germes quando se encontra com a comunidade católica às quartas-feiras. Esta justificação surgiu depois de um vídeo, que se tornou viral, em que Francisco afasta a mão das pessoas que tentam beijá-lo.

Os críticos conservadores criticaram o pontífice, acusando-o de evitar uma tradição secular. "Foi uma questão de simples higiene", explicou Gisotti na quinta-feira aos jornalistas. O porta-voz do Vaticano argumentou ainda que quando as pessoas fazem fila para ver o Papa na Praça de São Pedro, Francisco está ciente do risco de espalhar germes.

Alessandro Gisotti garantiu que o pontífice se "diverte" com esta polémica e que o chefe da Igreja Católica, de 82 anos, "gosta de abraçar pessoas e ser abraçado pelas pessoas", e que não se importa que os crentes beijem o seu anel papal quando são pequenos grupos.

O anel papal, usado no terceiro dedo da mão direita, é um dos principais símbolos da autoridade do pontífice. Beijá-lo é uma tradição com centenas de anos e é considerado um sinal de respeito e de obediência. Assim que um papa morre, o anel é imediatamente destruído para indicar o final do seu papado.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG