Os americanos vão ter saudades "de ter um adulto na Casa Branca"

Michelle Obama deu uma entrevista a Oprah Winfrey e falou sobre a saída da Casa Branca

Michelle Obama deu a última entrevista do ano a Oprah Winfrey na qual afirmou que os Estados Unidos são agora um país sem esperança e insinuou que os americanos iriam sentir falta de ter "um adulto na Casa Branca".

"Agora estamos a experienciar o que é não sentir esperança", disse Michelle Obama, agora que está de saída da Casa Branca, explicando que ter esperança é importante. "A esperança é um conceito necessário".

"O Barack não falava de esperança porque achava que era um bom slogan para conseguir votos. Ele, eu e muitos outros acreditamos que 'se não tivermos esperança, o que nos sobra? O que podemos dar aos nossos filhos quando não lhes podemos dar esperança?'", disse a primeira-dama na entrevista à CBS que será emitida na segunda-feira.

"Os nossos filhos reagem a crises da forma que nos veem a reagir", disse Michelle Obama, traçando uma comparação entre uma criança que se aleija e olha para os pais para saber se deve ou não chorar e o país.

"Eu sinto que Barack tem sido assim para a nação, de maneiras que as pessoas vão aprender a reconhecer", continuou Michelle, que insinuou que os americanos vão sentir falta de "ter um adulto na Casa Branca que possa dizer em tempos de crise e tumulto 'hey, vai correr tudo bem. Vamos relembrar as coisas boas que temos e olhar para o futuro. Vamos olhar para todas as coisas boas que temos construído'".

A primeira-dama disse que tudo isto é importante para as crianças não sentirem que "o seu trabalho e a sua vida são em vão". Afinal, "o que fazemos sem esperança, Oprah?", perguntou Michelle Obama.

No excerto da entrevista divulgado pela CBS, a primeira-dama não menciona nenhuma vez o nome de Donald Trump, tal como nos discursos durante a campanha presidencial, em que apoiou abertamente Hillary Clinton.

Esta quinta-feira, a primeira-dama falou sobre a importância da diversidade, inclusão e tolerância para um grupo de estudantes que visitou a Casa Branca e, mais uma vez, o seu discurso poderia ser uma mensagem para Donald Trump, cuja administração é composta maioritariamente por homens brancos.

"Enquanto progredimos na vida e temos acesso a estes lugares de poder, quero que vocês olhem à volta e se certifiquem que há diversidade na mesa", disse a primeira-dama. "Porque vocês não conseguem encontrar a resposta correta se toda a gente na mesa for igual e pensar da mesma forma e tiver a mesma experiência. Vocês nunca vão encontrar a melhor resposta".

Michelle Obama foi uma das vozes mais críticas contra Donald Trump durante a campanha e o seu discurso na convenção democrata foi a melhor prova. "Quando eles descem ainda mais baixo, nós subimos para um plano ainda mais elevado", disse a primeira-dama, na altura.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG