Organização Mundial de Saúde denuncia e-mails fraudulentos

Se for contactado pela OMS, especialmente via e-mail, e lhe pedirem dados pessoais, tenha cuidado. Muito provavelmente não será legítimo. É a própria OMS que alerta.

A OMS alerta que estão a ser enviados e-mails, mensagens de texto, chamadas e outras comunicações, fazendo-se passar pela organização original, numa tentativa de burla para obter dinheiro ou informações pessoais.

Estes contactos fraudulentos variam nos seus pedidos e conteúdos. A Organização Mundial de Saúde apresenta assim uma lista de comportamentos que não adota, de forma a facilitar a identificação dos contactos falsos. Os mais comuns são pedidos de doações, fornecimento de credenciais e passwords, e-mails com anexos não requisitados pelo subscritor, pedidos de acesso a links fora do domínio www.who.int , pagamento de taxas para candidaturas a empregos, conferencias ou estadias em hotéis, entre outros.

Com a crescente preocupação, causada pelo Covid-19, são cada vez mais os esquemas que se aproveitam desta situação para obter dados pessoais ou bancários dos subscritores que acreditam estar a fornecer informações a uma organização mundialmente conhecida e virada para o combate à epidemia.Os contactos têm sido feitos através de e-mails, acesso a websites, chamadas telefónicas, mensagens de texto e até envio de mensagens por Fax.

No site podem ainda ler-se os procedimentos típicos constantes dos e-mails e uma explicação de como identificar estes casos de phishing. Caso haja lugar a dúvidas, o passo mais seguro é contactar diretamente a OMS pelos contactos disponibilizados na página.

Dentro das precauções a tomar está:

O site dispõe ainda de uma ligação para a denúncia de esquemas ou contactos suspeitos, no qual os subscritores podem preencher um formulário de forma segura, que garante a proteção dos dados fornecidos, que apenas serão utilizados pela Organização para efeitos de verificação.

Mais Notícias

Outros conteúdos GMG